Quarta-feira, Julho 6, 2022
Quarta-feira, Julho 6, 2022

Dino Pedras: “Vivo intensamente o bem-estar dos outros“

Data:

Partilhar artigo:

Dá nome aos quatro ginásios que tem em Alcobaça, na Benedita, em São Martinho do Porto e em Leiria. Natural da Benedita, Dino Pedras é considerado o “senhor exercício” de Alcobaça. Jogou futebol no Beneditense dos 12 aos 17 anos, mas antes já tinha passado pelo Sporting, onde aliás nasceu a paixão pela área do fitness. Credenciado pelo Colégio de Medicina Desportiva americano, com mais de 20 certificações e 140 cursos de formação contínua  no currículo, é também o representante do Spinning em Portugal, modalidade que o tem levado aos quatro cantos do mundo. Aos 40 anos, o beneditense respira exercício e contagia todos os que rodeiam para a prática de atividade e exercício físico.

A três dias de o REGIÃO DE CISTER proporcionar às famílias dos concelhos de Alcobaça e Nazaré um dia repleto de atividades, fomentando a adoção de comportamentos saudáveis, fomos ouvir o que o homem do exercício físico da região tem a dizer sobre a saúde e o bem-estar dos alcobacenses. 

REGIÃO DE CISTER (RC) > Alcobaça é saudável? 
DINO PEDRAS (DP) > As pessoas estão mais recetivas à prática do exercício, passam mais tempo a pensar em fazer exercício… Contudo, da predisposição à ação vai uma grande distância. O número de pessoas ativas ainda é muito baixo, temos uma taxa a rondar os 10%. Ainda assim, hoje em dia as pessoas estão mais sensibilizadas para se tornarem mais ativas. Se Alcobaça é mais saudável, pelo menos está a fazer mais por isso. No concelho, a marca Dino’s está a fazer o seu papel, levando o exercício para mais próximo das pessoas. E, por isso, já temos um ginásio na Benedita, em Alcobaça e em São Martinho do Porto. 

RC > O facto de haver mais soluções para a prática do exercício também explica a maior predisposição das pessoas?
DP > As soluções são diferentes, porque o mercado e as necessidades das pessoas também o são. Há menos tempo e o facto de haver menos tempo abanou completamente a estrutura do exercício. Estávamos habituados a fazer uma hora de exercício duas a três vezes por semana, hoje em dia isso não existe. O propósito passa por fazer exercício regularmente e diariamente, como se de um hábito de higiene se tratasse. E para isso são precisos 20 a 30 minutos por dia. Curiosamente, as pessoas que vivem mais anos têm um índice de atividade diário alto. O papel do exercício e da atividade física na vida das pessoas estimula uma longevidade e uma qualidade de vida significativa. 

O exercício deve ser uma receita ajustada ao contexto social, físico, mental e emocional da pessoa

RC > Nos últimos anos, as atividades ao ar livre ganharam uma nova expressão. A que se deve esta alteração?
DP > Uma das variáveis importantes para facilitar a prática do exercício físico é a social. E é aí que entra a atividade física ao ar livre. Mas a atividade física é uma coisa e o exercício físico é outra. Há pessoas mais ativas, mas isso não quer dizer que façam exercício. Para fazer exercício físico é necessário haver um programa, que cumpra determinados requisitos e que requer várias disciplinas, enquanto na atividade física não existe nenhum processo de treino organizado e sistematizado. O exercício deve ser uma receita ajustada ao contexto social, físico, mental e emocional da pessoa. Há pessoas que preferem um treino mais individual, há outras que preferem em grupo. Há pessoas que se sentem melhor num ambiente indoor, há outras que se sentem melhor num ambiente outdoor. O mais importante é que as pessoas façam alguma coisa. Comecem por atividade física. Fico muito contente quando vejo as pessoas a andar a pé. É um início. 

RC > Hoje em dia não é só a questão estética que leva as pessoas a fazer exercício…
DP > Não. E os médicos têm feito um trabalho exemplar nesse campo. Normalmente as pessoas levam à risca o que eles dizem. E se eles dizem que nos ginásios há pessoas creditadas, que prescrevem um exercício à medida das necessidades de cada um, as pessoas vão. A indústria do fitness está muito mais reconhecida pelos profissionais que cá trabalham. As pessoas procuram mobilidade, muitas vezes dizem-me que vieram para o ginásio para se sentirem bem, e isso pode significar apenas subir as escadas com mais facilidade.

RC > Que novas tendências há no ginásio?
DP > O treino funcional, que pretende exatamente colocar a pessoa mais funcional, quer em termos de mobilidade, de flexibilidade e de força. Os modelos de treino também sofreram algumas alterações: a duração é mais curta, a intensidade é maior e os rácios de recuperação são diferentes. No fundo, é fazer um treino no menor tempo possível e maximizar os resultados. Dá-se muito mais importância à alimentação do que se dava há uns anos. Em todas as atividades, seja TRX, Crossfit ou Spinning, os profissionais adaptam o processo de aculturar as pessoas para aquele a que chamo de “triângulo mágico”, ou seja, treino, alimentação e descanso. 

 É muito simples: eu amo o que faço. Ponto. Esse é o segredo de grande parte do sucesso. Vivo intensamente o bem-estar dos outros. O meu objetivo de vida é essencialmente ajudar pessoas a serem mais saudáveis e mais felizes

RC > Como é que o nome Dino Pedras se transformou no rosto do treino da região?
DP > Sinceramente não me revejo como tal. Mas se olhar para os resultados sou obrigado a pensar duas vezes. É muito simples: eu amo o que faço. Ponto. Esse é o segredo de grande parte do sucesso. Vivo intensamente o bem-estar dos outros. O meu objetivo de vida é essencialmente ajudar pessoas a serem mais saudáveis e mais felizes. Isso é possível sendo altamente rigoroso comigo próprio. O meu dia começa às 6 da manhã e começo logo a construir a palavra rigor. Sou muito rigoroso com os modelos que ponho no ginásio. Sou super empenhado com a equipa e com as pessoas que me rodeiam.

RC > E o Spinning é uma paixão?
DP > Não é só o Spinning. Fico um bocadinho triste quando as pessoas confundem isso. O Dino não é só o Spinning. O Dino trouxe o Spinning para Alcobaça e tem feito um trabalho dentro dos ginásios que tem passado para o país, inspirando outros instrutores. Mas isso nunca foi um foco, foi uma consequência. O Spinning é uma paixão, como o são os meus ginásios. Sem os meus ginásios nunca teria tido oportunidade de encontrar uma modalidade que tenho como o Spinning. Encontrei uma ferramenta dentro daquilo que mais amo, que consigo usar com mais facilidade. A minha fórmula de sucesso é mesmo “rigor, empenho e paixão”.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Futebol: Ginásio fica pelas meias-finais no Inatel

O Ginásio caiu nas meias-finais do taça nacional da Fundação Inatel. Os azuis soçobraram na deslocação ao reduto...

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!