Quarta-feira, Junho 29, 2022
Quarta-feira, Junho 29, 2022

Câmara da Nazaré quer manutenção das taxas de zonamento de IMI

Data:

Partilhar artigo:

A Câmara da Nazaré solicitou à Autoridade Tributária (AT) a prorrogação do prazo de resposta à proposta de revisão do zonamento do Imposto Municipal de Imóveis que foi apreciada na última sessão do executivo municipal e que levaria ao aumento das taxas, nalguns casos em valores superiores a 20%. 

A Câmara da Nazaré solicitou à Autoridade Tributária (AT) a prorrogação do prazo de resposta à proposta de revisão do zonamento do Imposto Municipal de Imóveis que foi apreciada na última sessão do executivo municipal e que levaria ao aumento das taxas, nalguns casos em valores superiores a 20%. 

A maioria socialista vai levar novamente o assunto a discussão em sede de reunião de Câmara, com o objetivo de manter os valores de zonamento que se verificam desde 2009. 

“Face à reflexão feita é nossa intenção votar contra aquela proposta da AT e solicitar a manutenção dos valores, pois a avaliação não contempla outras premissas que reduziriam essa majoração”, revelou ao REGIÃO DE CISTER o presidente da Câmara. Walter Chicharro assegura, nessa medida, que o PS “lutará contra” a proposta que recebeu a concordância dos serviços.

A posição do PS surge na sequência de fortes críticas lançadas pelo vereador António Trindade (Grupo de Cidadãos Independentes), que, aquando da discussão do zonamento na reunião de Câmara, acusou os socialistas de “negligência” pelo atraso na resposta à AT, o que, na prática, constituiria uma aceitação da proposta de aumento dos valores do IMI no concelho.

A lei determina a revisão de três em três anos das taxas, mas há seis anos que o zonamento no concelho da Nazaré não é revisto. O executivo pretende que assim continue, por entender que as condições de mercado se deterioraram nos últimos anos e que as casas têm um valor inferior.

No caso da habitação, registam-se aumentos dos valores tributáveis mais significativos na zona do Calhau (38%), Valado dos Frades (21,95%), Famalicão (20,14%),     Serra da Pescaria (106,90%), Casais de Baixo/Quinta Nova (35,14%) e Fanhais (29,31%).

O assunto será novamente analisado na sessão do executivo municipal agendada para esta quinta feira.

 

 

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

A leste, algo de novo: o despertar dos impérios

Gostaria de estar mais otimista. Porém, os últimos desenvolvimentos à volta da  Guerra na Ucrânia não me permitem...

Hóquei em patins: Biblioteca conquista torneio de encerramento em Tomar

A equipa de sub-15 da Biblioteca conquistou o torneio de encerramento depois de vencer o Sp. Marinhense (10-4),...

Casal de americanos escolheu Alcobaça para ajudar emigrantes

”Portugal the Place” é o nome da empresa de consultoria gerida por um casal de americanos em... Alcobaça. Colleen...

Concurso Mundial de Bruxelas distingue quatro vinhos de Alcobaça

Os vinhos Montecapucho Arinto 2017, da Quinta dos Capuchos, e Mula Velha Rose 2021, da Parras Wines, foram...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!