Sábado, Julho 2, 2022
Sábado, Julho 2, 2022

As promessas que o vento levou

Data:

Partilhar artigo:

Qualquer semelhança com a realidade é pura ficção. Mas o novo Hospital do Oeste/Norte, construído na Quinta da Cela, em Alfeizerão, acaba de receber os primeiros doentes, enquanto a Área de Localização Empresarial da Benedita, situada na Quinta da Serra, já não tem lotes disponíveis para instalação de empresas. Ali mesmo ao lado passa o TGV, com uma estação na Benedita que permite que os habitantes da região apanhem o comboio de alta velocidade rumo às capitais europeias. Mas é o turismo que se assume como a grande atividade económica da região, com a Marina Atlântica da Nazaré em pleno funcionamento e os campos de golfe de São Gião, Pataias, Vimeiro e São Martinho do Porto repletos de turistas estrangeiros. Em véspera de Dia das Mentiras, fomos ler os jornais da última década e encontrámos promessas que nunca foram cumpridas pelos nossos políticos. 

Qualquer semelhança com a realidade é pura ficção. Mas o novo Hospital do Oeste/Norte, construído na Quinta da Cela, em Alfeizerão, acaba de receber os primeiros doentes, enquanto a Área de Localização Empresarial da Benedita, situada na Quinta da Serra, já não tem lotes disponíveis para instalação de empresas. Ali mesmo ao lado passa o TGV, com uma estação na Benedita que permite que os habitantes da região apanhem o comboio de alta velocidade rumo às capitais europeias. Mas é o turismo que se assume como a grande atividade económica da região, com a Marina Atlântica da Nazaré em pleno funcionamento e os campos de golfe de São Gião, Pataias, Vimeiro e São Martinho do Porto repletos de turistas estrangeiros. Em véspera de Dia das Mentiras, fomos ler os jornais da última década e encontrámos promessas que nunca foram cumpridas pelos nossos políticos. 

A esta distância, até as manchetes do REGIÃO DE CISTER não parecem ter qualquer fundo de verdade, sendo necessário perceber o contexto em que as declarações dos responsáveis políticos, autárquicos e não só, são produzidas. As promessas multiplicam-se e, tantas vezes, acabam por induzir as populações em erro. Resta saber se intencionalmente ou não.

A título de exemplo recuperamos a manchete de 8 de outubro de 2009 do semanário dos concelhos de Alcobaça e da Nazaré, na qual o jornal dava eco da decisão da Câmara de viabilizar um “grande investimento da Adecco” para o concelho. A notícia saiu em vésperas de eleições autárquicas e ainda hoje há quem jure a pés juntos que a notícia influenciou o resultado das autárquicas do domingo seguinte. Em causa estava um projeto de 600 mil euros que podia representar entre 250 a 300 postos de trabalho. 

Por falar em empregos ficou para a história a entrevista de Jorge Barroso, precisamente antes dessas autárquicas, na qual o histórico presidente da Câmara da Nazaré prometia a criação de “13 mil empregos” para o concelho. Está por provar que esta declaração tenha tido influência nos resultados, mas o certo é que o PSD recuperou a maioria absoluta na autarquia e os investimentos prometidos nunca chegaram a ver a luz do dia. 

Só o hospital israelita na Pederneira – que chegou a motivar uma visita do embaixador de Israel e dos investidores israelitas ao concelho… -, com a respetiva escola superior de medicina, “ameaçava” chegar aos 100 milhões de euros de investimento. É certo que as árvores foram cortadas, mas o investimento levou-o o vento, tal como a famigerada Marina Atlântica e campo de golfe em São Gião. Neste caso, o empreendimento Nazaré XXI chegou a avançar com o concurso público, ao qual, porém, só veio a concorrer o Grupo Lena que, veio a perceber-se mais tarde, não reunia os requisitos necessários para avançar com o projeto. E o concurso público ficou deserto…

Também deserto ficou o concurso público para o Programa Ativo para Revitalizar o Centro Urbano, lançado pela Câmara da Nazaré em 2008, e que integrava os tais mega-projetos da autarquia. Entre outros investimentos falava-se de um parque de estacionamento subterrâneo na marginal e na reconstrução do edifício do Mercado Municipal para instalar uma zona comercial e os Paços do Concelho. E o que dizer do teleférico para ligar a Nazaré e a Pederneira? O estaleiro chegou a ser instalado, a Câmara recebeu verbas para o efeito, mas como não avançou a obra, foi já no mandato de Walter Chicharro (PS) que a autarquia teve de devolver a verba ao Turismo de Portugal…

Mas não pense que é só na Nazaré que os políticos prometeram mundos e fundos. Em Alcobaça, os exemplos são inúmeros. Desde os 5,5 milhões de euros pagos (entre 2005 e 2008) com o dinheiro dos contribuintes para a instalação da ALE na Benedita, aos 3,5 milhões pagos pela aquisição da Quinta da Cela, em Alfeizerão, e que serviria – caso o Governo decidisse avançar com a obra… – como uma alternativa viável para o Estado construir o Hospital Oeste/Norte. Foi em janeiro de 2008 que a escritura foi feita e o hospital nem vê-lo. 

Mais tarde, já no mandato de Paulo Inácio, sucessor de José Gonçalves Sapinho, a autarquia chegou a propor ao Governo a disponibilização do edifício do MercoAlcobaça para a construção de um novo hospital na cidade, uma promessa da ministra da Saúde, Ana Jorge, precisamente como compensação para a não construção do Hospital Oeste/Norte. Só que o projeto também ficou na gaveta. E não foi o único. O Poder Central é useiro e vezeiro em promessas incumpridas. Já foram escritas inúmeras notícias sobre o destacamento da GNR na Quinta das Freiras, que ainda hoje está para ser concretizado, bem como o Museu da Língua Portuguesa na Ala Sul do Mosteiro de Santa Maria e a Casa-Museu Manuel Vieira Natividade. Pelo caminho ficou ainda o ensino superior em Alcobaça, cuja fundação que foi criada para gerir a oferta no concelho, centrada na organização de pós-graduações, mestrados, cursos breves e de especialização, foi extinta precisamente há dias (ver página 4). 

Poderia ainda ser aqui invocada a promessa da construção de uma ciclovia entre as freguesias de Alfeizerão e São Martinho do Porto, a Casa da Cultura no Bárrio, a promessa da recuperação da Central Elétrica da Fervença e os campos de golfe em Pataias, São Martinho do Porto e até… no Vimeiro. A passagem do comboio de alta velocidade pelo meio da Avenida Padre Inácio Antunes, na Benedita, que levou à criação de um movimento anti-TGV, também não passou de uma ilusão. 

Mas se os políticos são tantas vezes acusados de malabarismos, também há situações em que acabam por ser surpreendidos pelos mestres da ilusão. Basta recordar a iniciativa da Câmara de Alcobaça, em julho de 2008, para assinalar a eleição do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça como uma das 7 maravilhas de Portugal. O mágico Luís de Matos prometeu a maior “metamorfose” de todos os tempos. O espetáculo foi tão “inesquecível” que ainda hoje os milhares de pessoas que acorreram ao Rossio se recordam daquela noite em que a promessa de uma grande metamorfose não passou disso mesmo: uma promessa. Que também foi levada, certamente, pelo vento.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Aluno da Escola D. Pedro I conquistou 1.º prémio nas Olimpíadas da Cultura Clássica

António Maria Jorge, aluno da Escola Básica 2,3 D. Pedro I de Alcobaça, ganhou o 1.º prémio nas...

Futsal: Uma década de “ouro” coroada com o 25.º título

O Sporting revalidou o título nacional, no passado sábado, depois de vencer o Benfica (4-3) no terceiro jogo...

Vai uma “jogatana” de padel?

Pode parecer estranho, mas esta história sobre o padel começa a ser contada por um treinador de... futsal....

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!