Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023

Oposição aponta “falhas” no concurso público da Marginal da Nazaré

Data:

Partilhar artigo:

Os vereadores da oposição da Câmara da Nazaré apontam várias críticas ao resultado do concurso público para a 2.ª fase da obra de reabilitação da marginal da Nazaré.

Os vereadores da oposição da Câmara da Nazaré apontam várias críticas ao resultado do concurso público para a 2.ª fase da obra de reabilitação da marginal da Nazaré.

António Trindade, eleito pelo Grupo de Cidadãos Independentes do Concelho da Nazaré (GCICN), fala em “falhas graves” no procedimento, advertindo para a possibilidade de novos processos judiciais contra a autarquia, “convicto que uma das empresas não selecionadas tente impugar o resultado do concurso público”.  

Região de Cister - Assine Já!

Já Belmiro Fonte (PSD) acusa, em declarações ao REGIÃO DE CISTER, o executivo de “quebrar as suas próprias regras  apenas para conseguir concluir a requalificação da avenida marginal a tempo das eleições autárquicas do próximo ano”. 

Em causa, defendem os vereadores, está o facto de nenhuma das seis empresas concorrentes cumprirem todos os requisitos e critérios definidos pelo júri do procedimento de contratação pública. Pelo que, no entendimento dos autarcas do GCICN e do PSD, “o concurso deveria ter ficado deserto e ser aberto novo procedimento”.

A empresa vencedora – Manuel Pedro Sousa & Filhos, sediada em Casal da Charneca, freguesia de Évora de Alcobaça, foi selecionada para executar a obra apesar de não cumprir “o indicador de liquidez geral” por uma diferença de 4 por cento. O relatório do júri considera que a diferença “não tem relevância material”, Com os votos contra dos três vereadores da oposição, o resultado do concurso público foi aprovado com o voto de qualidade do vice-presidente Manuel António Sequeira, já que o presidente da Câmara estava impedido de participar na votação por presidir ao júri que elaborou o relatório.

Questionado pelo REGIÃO DE CISTER, Walter Chicharro recusou fazer quaisquer comentários “já que a resposta é técnica e não política”, remetendo as questões para os técnicos que elaboraram o relatório. Por sua vez, os restantes membros do júri admitiram que “existe a possibilidade de impugnação que todos os candidatos/concorrentes/interessados têm em todos os procedimentos de contratação pública”, mas dizem que a situação não os “preocupa”. “Defendemos as posições plasmadas nos relatórios que entendemos cumprirem com a Lei”, sublinharam os membros do júri, em resposta ao esclarecimento do REGIÃO DE CISTER. 

A segunda fase da requalificação da marginal pretende renovar o pavimento, o passeio e o mobiliário urbano da avenida, à semelhança do que já foi feito no mesmo troço entre a Praça Sousa Oliveira e a avenida Vieira Guimarães.

 

AD Footer

Artigos Relacionados

Andar com o escritório numa mão

Fábio Filipe tinha duas opções: passar das funções de club manager para área manager de um clube de...

‘Dragão’ Stephen Eustáquio marca e conquista Taça da Liga de futebol

Stephen Eustáquio teve papel bastante importante ao apontar o primeiro golo na vitória que deu ao FC Porto...

Oonify abre espaço dedicado à formação na Nazaré

A Oonify abriu, recentemente, na Nazaré, um novo espaço de formação, a que chamou de "Oonify Space". O novo...

Sons Com(n)Sentidos ouvem-se agora nos cavaquinhos e percussão da Cercilei

Em cima do palco, os homens apresentam-se de suspensórios, as mulheres levam uma bandolete na cabeça. Todos vestem...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!