Sexta-feira, Abril 19, 2024
Sexta-feira, Abril 19, 2024

Igreja de São Gião vai abrir com centro de interpretação e loja

Data:

Partilhar artigo:

A igreja de São Gião deverá abrir à visitação pública antes do verão do próximo ano. O monumento de arquitetura religiosa, classificado como o estatuto de interesse nacional, localizado na Quinta de São Gião, será equipado com um centro de interpretação e uma loja de apoio ao visitante.

A igreja de São Gião deverá abrir à visitação pública antes do verão do próximo ano. O monumento de arquitetura religiosa, classificado como o estatuto de interesse nacional, localizado na Quinta de São Gião, será equipado com um centro de interpretação e uma loja de apoio ao visitante. A informação foi divulgada, esta semana, pela autarquia, depois de um encontro com os coordenadores da obra.

Com um investimento total de 245 mil euros, “a operação visa possibilitar a visita ao local, com elevado interesse turístico, científico e académico, dentro de poucos meses, estando o modelo de funcionamento futuro pensado para ser semelhante ao do Forte de S. Miguel Arcanjo”, adianta a autarquia, em comunicado.

Região de Cister - Assine Já!

Após várias décadas a aguardar por uma intervenção de fundo, a obra está identificada no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial, que faz parte integrante do PEDU da Nazaré, aprovado e contratualizado entre o Município da Nazaré e a Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Centro.

Assumida como uma prioridade pela Direção Geral do Património Cultural, a Igreja de São Gião tem estado ao abandono nos últimos anos. 

A primeira intervenção arqueológica aconteceu em 1965, com Eduíno Borges Garcia e Fernando de Almeida. Um quarto de século depois, em 1990, tiveram lugar os trabalhos de proteção, com instalação de uma cobertura provisória, que foi destruída pelos ventos e reposta nos anos de 1996 e 1997. Quando em 1998 o processo de expropriação foi concluído, foi ainda necessário uma intervenção da GNR, da Câmara e do Instituto Português do Património Arqueológico para tirar um ocupante que vivia nos edifícios da quinta.

No início do milénio realizou-se a primeira fase de recuperação e reabilitação, que segundo a DGPC, tratou-se de “num conjunto de operações de preparação da grande operação de reabilitação do monumento”. Trata-se do único monumento nacional do concelho da Nazaré, que os especialistas consideram que remonta ao século VI.
 

AD Footer

Artigos Relacionados

Dez estabelecimentos da região distinguidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024

Cinco alojamentos e cinco restaurantes foram reconhecidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024, publicado na passada sexta-feira...

Cartoon 18-04-2024

A incrível vida (depois da morte) de D. Inês de Castro e a sua pomba Pimba

O que é a liberdade para si?

Vejo muita gente a viver “presa” no que acredita ser uma vida livre. Já se perguntou o que...

“Projeto Água do Oeste” apresentado em Alcobaça

“Projeto Água do Oeste”. É este o nome do workshop que terá a primeira sessão já na próxima...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!