Terça-feira, Abril 23, 2024
Terça-feira, Abril 23, 2024

Um concelho para os de Cima e outro para os de Baixo

Data:

Partilhar artigo:

Poderá uma escola primária pertencer a duas freguesias e a dois concelhos diferentes? Até há uns dez anos era isso que acontecia em Calvaria de Cima, concelho de Porto de Mós, e em Calvaria de Baixo, concelho da Batalha. Hoje em dia, é a freguesia de Calvaria de Cima que gere a escola, só que os meninos das duas freguesias continuam a partilhar a escola…

 

Poderá uma escola primária pertencer a duas freguesias e a dois concelhos diferentes? Até há uns dez anos era isso que acontecia em Calvaria de Cima, concelho de Porto de Mós, e em Calvaria de Baixo, concelho da Batalha. Hoje em dia, é a freguesia de Calvaria de Cima que gere a escola, só que os meninos das duas freguesias continuam a partilhar a escola…

Mas a primária não é o único edifício que a freguesia de Calvaria de Cima, em Porto de Mós, e a freguesia da Batalha, que integra Calvaria de Baixo, partilham: o mesmo acontece com a Igreja (é a mesma paróquia), com o Centro de Dia e com o Centro de Saúde, também sob a responsabilidade da freguesia de Porto de Mós.

Região de Cister - Assine já!

“É um caso peculiar porque, de facto, não é comum isto acontecer. Partilhamos edifícios e cedemos também o cemitério à população de Calvaria de Baixo. Há uma linha muito ténue entre as divisões administrativas e geográficas entre as duas freguesias, tanto que, por vezes, ainda há dúvidas dos fregueses sobre as respetivas fronteiras“, adianta Margarida Santos, presidente da Junta de Calvaria de Cima ao REGIÃO DE CISTER.

Da mesma opinião é a presidente da Junta da Batalha. “Há uma amizade muito grande entre as populações e os próprios autarcas das freguesias dos dois concelhos, o que acaba por atenuar a divisão entre as freguesias e os municípios”, afiança Rosa Abraul. A festa de Santa Marta, que decorreu na primeira semana deste mês, é, aliás, um ponto de encontro entre os autarcas de… Cima e de Baixo.

Reconhecendo a “rivalidade histórica de outros tempos”, Margarida Santos explica que “grande parte da população que reside em Calvaria de Baixo trabalha na freguesia de Calvaria de Cima, tendo em conta as grandes superfícies comerciais ali instaladas”. Por outro lado, a Junta da Batalha apoia diversas iniciativas da Junta de Calvaria de Cima, “sempre que há pessoas de Calvaria de Baixo a participar nas mesmas”.   

Para a presidente de Junta de Calvaria de Cima, a divisão administrativa “não faz muito sentido”, tanto que “esta questão já foi discutida entre as presidentes de Junta de Calvaria de Cima e da Batalha e os presidentes de Câmara de Porto de Mós e Batalha”. Contudo, “no que toca a fronteiras e a divisões geográficas, as situações muito sensíveis e difíceis de alterar”, nota Margarida Santos.

A poucos quilómetros de distância de Calvaria de Cima, há outra situação idêntica. Cumeira de Baixo pertence à freguesia de Aljubarrota e naturalmente ao concelho de Alcobaça. Logo a seguir, Cumeira de Cima já integra a freguesia do Juncal e o concelho de Porto de Mós. Curiosamente, a presidente da Calvaria de Baixo é de Cumeira… de Cima. 

 

AD Footer

Artigos Relacionados

Hóquei: HC Turquel despromovido ao segundo escalão

O cenário para ainda garantir a permanência antecipava-se de extrema dificuldade, mas a verdade é que veio a...

O pintor que fez da cerâmica e da azulejaria uma “tela” da vida

Foi de pincel na mão que Luís Sacadura desenhou o trajeto de uma vida particularmente preenchida. Disputado pelas...

Homem estátua promove campanha de angariação de fundos para museu internacional

O homem estátua dos Pisões e recordista mundial, António Santos, está a promover uma campanha de angariação de...

Valorlis regista aumento de 4% na reciclagem

A Valorlis registou um aumento de 4% na recolha seletiva de embalagens de plástico, metal, cartão e vidro,...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!