Domingo, Novembro 27, 2022
Domingo, Novembro 27, 2022

Autoridades atentas à limpeza de terrenos apesar da pandemia

Data:

Partilhar artigo:

O início da fiscalização da limpeza dos terrenos florestais está previsto para dia 30 de abril, após a prorrogação do prazo no âmbito do Estado de Emergência. Segundo a presidente da direção Associação Florestal da Estremadura e Ribatejo (APFRA), a população está a cumprir a legislação, mas a um “ritmo mais lento devido à pandemia”.

O início da fiscalização da limpeza dos terrenos florestais está previsto para dia 30 de abril, após a prorrogação do prazo no âmbito do Estado de Emergência. Segundo a presidente da direção Associação Florestal da Estremadura e Ribatejo (APFRA), a população está a cumprir a legislação, mas a um “ritmo mais lento devido à pandemia”. 

A lei não deixa margens para dúvidas. Todos os proprietários, arrendatários ou entidades que detenham terrenos próximos a edifícios localizados em espaços rurais devem garantir a respetiva gestão de combustível ao longo de uma faixa mínima de 50 metros de largura a partir da alvenaria exterior das casas, armazéns, oficinas e estaleiros. Os trabalhos de limpeza deveriam ter sido realizados até ao passado dia 15 de março. Até à data, a Guarda Nacional Republicana (GNR), contabilizou 23.869 incumprimentos a nível nacional.

Região de Cister - Assine já!

No entanto, Alexandra Sousa assegura ao REGIÃO DE CISTER que “a alteração das datas, resultante de uma medida consensual entre os municípios, não inviabiliza a continuação dos trabalhos”. “A limpeza está a ser realizada, mas de forma mais lenta, tendo em conta os constrangimentos de natureza atmosférica e a redução de elementos a desempenhar funções devido à pandemia”.

A presidente da APFRA revela que as primeiras intervenções de limpeza foram realizadas ainda em fevereiro e março, o que ajudou a que não exista “trabalho acumulado”. “As primeiras medidas referentes ao novo Coronavírus foram decretadas após o início dos primeiros trabalhos, que incluíram a resolução de situações mais perigosas. É certo que nem tudo foi solucionado, mas a limpeza dos terrenos não foi negligenciada devido à pandemia”, assegura.  

Alexandra Sousa sublinha ainda que a associação continua a receber diariamente pedidos de apoio na limpeza dos terrenos e que os cidadãos idosos, que preferem realizar grande parte desta intervenção de forma autónoma, continuam a cumprir o seu dever. “As pessoas estão mais sensibilizadas para esta temática e, conscientes do cenário de terror que Portugal já enfrentou, têm trabalhado no sentido de reduzir os riscos”, nota.  

O Comando Territorial da GNR de Leiria sublinha que “o País tem um enorme risco de incêndio florestal e que esse risco exige um grande esforço de limpeza, de todos”. A autoridade reforça ainda que a limpeza dos terrenos é “o mais importante contributo que a comunidade pode dar no sentido da prevenção de incêndios florestais”. 

O incumprimento implica a aplicação de coimas entre os 280 euros e os 10 mil euros, quando praticada por pessoa singular, e entre os 1.600 euros e os 12 mil euros para as empresas.

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!