Terça-feira, Julho 5, 2022
Terça-feira, Julho 5, 2022

Carbel propõe viagem pelo artesanato de Portugal

Data:

Partilhar artigo:

Com vista privilegiada para o mar e com música tradicional portuguesa ambiente, a Carbel propõe uma viagem pelo artesanato de norte a sul do País. A loja, uma das casas de comércio mais emblemáticas da Nazaré, assinala este ano meio século de vida.

Com vista privilegiada para o mar e com música tradicional portuguesa ambiente, a Carbel propõe uma viagem pelo artesanato de norte a sul do País. A loja, uma das casas de comércio mais emblemáticas da Nazaré, assinala este ano meio século de vida.

Tudo começou com uma taberna, gerida pelos pais de Carlos Matias. “Entre 1953 e 1970 funcionava neste espaço uma taberna, gerida pelos meus pais”, conta o filho, que nos últimos anos toma as rédeas do negócio familiar com a mulher. Joaquim e Alice Vicente acabaram por fechar a taberna para ali abrir uma loja de produtos regionais, a que deram o nome de Carbel, em homenagem aos dois filhos: Carlos e Isabel.

“Naquela época havia muitas casas de artigos regionais, com as bonecas da Nazaré e aqueles artigos típicos e os clientes eram sempre muitos“, recorda o responsável. Com a aproximação de Carlos Vicente ao negócio dos pais, a Carbel começou a vender outros artigos.

“Para vendermos os produtos também precisamos de gostar deles e haver uma identificação com os nossos gostos”, justifica Carlos Vicente, que progressivamente foi aliando o tradicional ao contemporâneo.

Durante vários anos, mãe e filho trabalharam juntos na mesma loja, mas “dividida” em duas secções. “A minha mãe vendia os artigos regionais e eu geria a outra parte com outros produtos de artesanato, mas a loja era a mesma”, conta, entre risos. “Às vezes o cliente entrava e saía pela porta da secção de artesanato e voltava a entrar na secção da cerâmica a pensar que era outra loja“, acrescenta.

Desde os produtos da Bordalo Pinheiro, aos barcos da Nazaré, passando pelos presépios e Santos Antónios, na loja de artesanato, plantada na Marginal da Nazaré, só entram produtos exclusivamente portugueses. “Só comercializo peças do artesanato português, desde o tradicional ao contemporâneo”, sublinha Carlos Vicente.

A imagem de Nossa Senhora da Nazaré que foi entregue ao Papa Francisco, a propósito da candidatura da classificação do culto de Nossa Senhora da Nazaré a Património Imaterial e Cultural da Humanidade pela UNESCO, foi uma das “glórias” da casa, como diz. “A artesã só faz imagens de Nossa Senhora da Nazaré para esta casa.

E foi através de uma imagem pequena que tínhamos na loja que a autarquia nos solicitou três imagens maiores da Nossa Senhora da Nazaré”, conta o empresário, que vê nos artesãos e fornecedores a mais-valia da Carbel. “Muitos são amigos e família”, nota.

E desengane-se quem pensa que apenas por ali passam e param estrangeiros, são vários os portugueses e até locais que são clientes fiéis da Carbel. Sem folgas e a trabalhar das 10 à meia-noite, ganha o gosto pelo artesanato português e a janela através da qual vê o mar.    

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Duas empresas de Alcobaça distinguidas como “Gazela 2021”

A construtora A.B. Inácio, LDA, sediada na Benedita, e a fabricante HC - Caixilharia LDA, localizada na Cela...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!