Sexta-feira, Dezembro 9, 2022
Sexta-feira, 9 Dezembro, 2022

Alcobaça e Nazaré preparam projeto para criar mobilidade suave no rio Alcoa

Data:

Partilhar artigo:

Quatro anos depois de ter sido apresentada a intenção de ligar Alcobaça e Nazaré através de um percurso pedonal e ciclável ao longo das margens do rio Alcoa, o projeto de mobilidade suave ganhou um novo fôlego com a notícia de que os dois municípios pretendem avançar com uma candidatura a fundos comunitário, no eixo da mobilidade do quadro Portugal 2020, até ao próximo mês de outubro. 

Quatro anos depois de ter sido apresentada a intenção de ligar Alcobaça e Nazaré através de um percurso pedonal e ciclável ao longo das margens do rio Alcoa, o projeto de mobilidade suave ganhou um novo fôlego com a notícia de que os dois municípios pretendem avançar com uma candidatura a fundos comunitário, no eixo da mobilidade do quadro Portugal 2020, até ao próximo mês de outubro. Para isso, é necessário ainda recolher todos os pareceres necessários ao processo das diversas entidades.

Ao percurso de 14 quilómetros, que inicia na Fervença, em Alcobaça, e termina na foz do rio, na Nazaré, foi dado o nome de “Caminhos dos Monges – Entre a Terra e o Mar”. O projeto, apresentado em conferência de imprensa, no Your Hotel & Spa, esta terça-feira, inclui a criação de 11 passagens aéreas, uma zona de observação de aves e e uma via para um autocarro elétrico, beneficiando o meio ambiente e qualificando o espaço.

Região de Cister - Assine já!

“É um dos projetos mais importantes do concelho de Alcobaça, que liga dois territórios e que tem uma força de marketing territorial muito grande”, sublinhou o presidente da Câmara de Alcobaça. Paulo Inácio admitiu aos jornalistas ser “um projeto de grande investimento” mas “com repercussões no turismo, no trabalho, na mobilidade e na consolidação das margens do rio”. Também o presidente da Câmara da Nazaré enalteceu as vertentes da “mobilidade” e da “intermunicipalidade”. “Não acredito que haja dois municípios a afirmarem-se lado a lado, com um projeto comum e alavancador dos territórios”, afirmou Walter Chicharro, destacando a importância do eixo de Valado dos Frades no projeto. 

Depois da apresentação do projeto, o secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional reconheceu que se trata de um “projeto ambicioso”, ao mesmo tempo que antevê não ser “uma obra barata”, apesar de não ter sido dado a conhecer o valor previsto do investimento. 

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro deixou recomendações: “É muito importante evidenciar a vertente da mobilidade suave do projeto ambiental”, reiterou Isabel Damasceno, lembrando que são necessários todos os pareceres das entidades parceiras.

AD Footer

Artigos Relacionados

APFCAN reflorestou 200 hectares desde grande incêndio de 2017

A reflorestação da área florestal que se estende até ao mar nos concelhos de Alcobaça e Nazaré é...

Alunos da Escola D. Pedro I em projeto “Music and Sports” na Turquia

Ângelo Antanoa (9.ºC), Gonçalo Domingues (9.ºB), Simão Dias (9.ºC) e Simão Fernandes (9.ºA) foram os alunos da Escola...

Concerto de Toy levou um milhar de pessoas ao pavilhão dos Bombeiros da Benedita

O pavilhão dos Bombeiros da Benedita engalanou-se, na noite da passada sexta-feira, para receber o concerto de Toy....

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!