Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023

Fatura da pandemia pode colocar em causa Casa do Povo de Calvaria de Cima

Data:

Partilhar artigo:

A situação económica da Casa do Povo da Calvaria de Cima agravou-se com a pandemia, tendo já prejuízos superiores a 40 mil euros desde o passado mês de março. A situação pode colocar em risco a continuidade da instituição.

A situação económica da Casa do Povo da Calvaria de Cima agravou-se com a pandemia, tendo já prejuízos superiores a 40 mil euros desde o passado mês de março. A situação pode colocar em risco a continuidade da instituição.

“Não sabemos como vão ser os próximos meses. Temos tido prejuízos atrás de prejuízos”, revela o presidente da Direção da instituição, em declarações ao REGIÃO DE CISTER. Desde o início da pandemia, em meados do mês de março, a Casa do Povo contabiliza quase 40 mil euros de prejuízos. “Em média, todos os meses perdemos cerca de 8 mil euros”, refere Carlos Rebelo.

Região de Cister - Assine já!

Com o encerramento do Centro de Dia e a suspensão das refeições do ATL e dos Serviços de Apoio à Família a cerca de 130 crianças, as receitas da Casa do Povo diminuíram drasticamente. Já as despesas mensais da instituição aumentaram. “A maioria dos utentes do Centro de Dia passou a ter apoio domiciliário e este serviço tem custos de pessoal e de transporte bastante acrescidos, mas não podemos deixar a população sem alimentação e sem cuidados de higiene”, sublinha o presidente da Direção. Atualmente, a Casa do Povo da Calvaria de Cima fornece 140 refeições diárias a 70 utentes.

 “No entanto, é a comunidade que nos tem ajudado nos últimos meses com a doação de alimentos”, acrescenta.

Para fazer face às despesas mensais e manter os colaboradores, a instituição teve que recorrer à banca para um empréstimo no valor de 20 mil euros. Até agora, a Casa do Povo de Calvaria de Cima contou apenas com a apoio financeiro da Câmara Municipal de Porto de Mós que atribuiu à instituição o valor de sete mil e quinhentos euros no âmbito das medidas excecionais e temporárias da pandemia.

A autarquia também disponibilizou uma verba de 15 mil euros para a realização de obras. “Temos tido vários problemas com infiltrações que vão finalmente ser resolvidos”, nota Carlos Rebelo. “Para darmos melhores condições aos nossos utentes, precisávamos de fazer uma intervenção maior no edifício, o que não será possível nos tempos mais próximos”, lamenta Carlos Rebelo.   

 

AD Footer

Artigos Relacionados

Andar com o escritório numa mão

Fábio Filipe tinha duas opções: passar das funções de club manager para área manager de um clube de...

‘Dragão’ Stephen Eustáquio marca e conquista Taça da Liga de futebol

Stephen Eustáquio teve papel bastante importante ao apontar o primeiro golo na vitória que deu ao FC Porto...

Oonify abre espaço dedicado à formação na Nazaré

A Oonify abriu, recentemente, na Nazaré, um novo espaço de formação, a que chamou de "Oonify Space". O novo...

Sons Com(n)Sentidos ouvem-se agora nos cavaquinhos e percussão da Cercilei

Em cima do palco, os homens apresentam-se de suspensórios, as mulheres levam uma bandolete na cabeça. Todos vestem...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!