Quarta-feira, Julho 6, 2022
Quarta-feira, Julho 6, 2022

Ciclismo: Rei da Montanha em Itália correu por Alcobaça

Data:

Partilhar artigo:

Nas últimas semanas, os holofotes do desporto viraram-se para Itália, mais precisamente para o Giro, uma das três maiores corridas do calendário anual do ciclismo. 

Nas últimas semanas, os holofotes do desporto viraram-se para Itália, mais precisamente para o Giro, uma das três maiores corridas do calendário anual do ciclismo.

Rúben Guerreiro (EF Pro) foi o “Rei da Montanha” e conquistou a “camisola Azul”, que condecora o melhor ciclista nas etapas de montanha.Poucos saberão é que o ciclista, natural de Pegões Velhos, concelho do Montijo, já levou o símbolo do Alcobaça Clube de Ciclismo mais longe, corria a época de 2012. 

Na hora de comemorar, o atleta não esqueceu o clube e ao REGIÃO DE CISTER recordou o tempo que passou no clube alcobacense “Foi o meu melhor ano de juniores. Trabalhei com pessoas espetaculares e devo-lhes muito”, afirma, recordando o título nacional de juniores que conquistou nesse ano.

“Fizemos um grande trabalho com o treinador João Hortelão e foi a pessoa que começou a mentalizar-me que poderia ser corredor profissional e estou muito grato”, enalteceu o ciclista de 26 anos.
Rúben Guerreiro tornou-se no primeiro português a conseguir vencer uma das quatro classificações principais de uma grande Volta triunfando em oito contagens de montanha: três de primeira, três de segunda, uma de terceira e uma de quarta.

Além desta conquista, o ex-Alcobaça Clube de Ciclismo festejou a vitória na 9.ª etapa e encerrou um ciclo de 31 anos sem vitórias lusas numa etapa do Giro de Itália, registo que pertencia ao ex-ciclista Acácio Silva.

Esta conquista é também muito significativa para o Alcobaça Clube de Ciclismo, que viu um dos ex-atletas estar nas “bocas do mundo”. “Muitas vezes um ciclista de grande valor passa muito tempo no anonimato do pelotão, até que um dia surge a oportunidade na fuga certa e o valor revela-se em todo o seu esplendor. O Giro veio revelar o valor do Rúben Guerreiro e do João Almeida”, reitera Joaquim Marques, presidente do Alcobaça Clube de Ciclismo, relembrando “um jovem muito dedicado à modalidade e sempre bem-disposto e muito alegre”.

“Ver um dos nossos ex-atletas com a projecção e notoriedade internacional enche-nos de felicidade, e essa é a recompensa pelos muitos esforços que temos feito em prol do desporto de formação”, sublinha o dirigente recordando os casos de Rafael Reis e Amaro Antunes, vencedor da Volta a Portugal no início deste mês.

As celebrações do feito de Rúben Guerreiro ganharam maior destaque pela prestação histórica de João Almeida (Deceuninck-Quick Step), ciclista de 22 anos, natural de A-dos-Francos, de Caldas da Rainha, que encerrou o Giro de Itália num merecido 4.º lugar da geral. Escreveu-se história.

Fotografia: Giro

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Futebol: Ginásio fica pelas meias-finais no Inatel

O Ginásio caiu nas meias-finais do taça nacional da Fundação Inatel. Os azuis soçobraram na deslocação ao reduto...

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!