Domingo, Julho 3, 2022
Domingo, Julho 3, 2022

Municípe denuncia “atentado ambiental” na Praia do Norte

Data:

Partilhar artigo:

A aglomeração de lixo na Praia do Norte motivou a intervenção de António Lemos em reunião de Câmara da Nazaré. O munícipe fala em “atentado ambiental”, referindo-se aos detritos acumulados ao longo de vários anos naquela praia. “É uma extensão muito grande com lixo. Dói-me o coração quando olho para aquela barbaridade”, denuncia.

A aglomeração de lixo na Praia do Norte motivou a intervenção de António Lemos em reunião de Câmara da Nazaré. O munícipe fala em “atentado ambiental”, referindo-se aos detritos acumulados ao longo de vários anos naquela praia. “É uma extensão muito grande com lixo. Dói-me o coração quando olho para aquela barbaridade”, denuncia.

Recentemente, em duas iniciativas distintas de recolha de lixo na Praia do Norte, da Associação Mais Sustentabilidade dos Territórios Rurais e Urbanos (AMSTRU) e dos escuteiros da Maiorga, foram removidos centenas de quilos de detritos. “Foram recolhidos 500 quilos de lixo numa área de 300 por 50 metros, que é uma ínfima parte do problema, que tem uma vasta dimensão”, refere António Lemos. Também a associação já tinha dado conta do problema em maio. “Depois de um olhar mais atento, o que encontramos é lixo, muito lixo, plástico, artes de pesca mas também muitos resíduos urbanos que nos perguntamos como chegaram ali”, lê-se na página da AMSTRU.

O presidente da Câmara lembra que se trata de uma área de jurisdição da Agência Portuguesa do Ambiente e fora da alçada do Município, acrescentando que, ainda assim, a Câmara tem procedido à limpeza do areal. “Ainda que não seja da nossa responsabilidade, não deixámos de fazer”, garante Walter Chicharro.

“Se a Câmara não tem capacidade legal, que interceda junto das entidades estatais”, apelou o munícipe, para quem a questão ambiental não se coloca no areal, mas nas arribas e acessos à praia. “O problema ambiental da enorme aglomeração de lixo está lá e tem de ser resolvido”, considera António Lemos.

Garantindo que a autarquia “está recetiva à ajuda de todos” e que “as limpezas feitas por privados são sempre bem vindas”, Walter Chicharro pediu ao munícipe que indicasse aos serviços camarários a localização da zona onde o lixo está aglomerado. O edil admite reforçar os caixotes de lixo, mas realça que “pode haver 500 baldes do lixo e 700 pessoas a recolher e ainda haver lá lixo”, numa alusão aos comportamentos erróneos dos utilizadores das praias. “É preciso que as pessoas não larguem o lixo no chão”, reforça o autarca, que lembra a quantidade de detritos que o mar devolve à costa. “Se a si lhe dói o coração, a mim dói-me o corpo todo”, retorquiu.

A Câmara admite avançar no próximo ano com o pedido para que a Praia do Norte, considerada praia deserta, seja uma área balnear. Atualmente apenas são zonas balneares a Praia da Nazaré e a Praia do Salgado. O vereador do Ambiente, Orlando Rodrigues, lembra que o Município é responsável pela gestão de apenas 3,5 quilómetros dos 16 existentes de costa no concelho da Nazaré.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Duas empresas de Alcobaça distinguidas como “Gazela 2021”

A construtora A.B. Inácio, LDA, sediada na Benedita, e a fabricante HC - Caixilharia LDA, localizada na Cela...

Aluno da Escola D. Pedro I conquistou 1.º prémio nas Olimpíadas da Cultura Clássica

António Maria Jorge, aluno da Escola Básica 2,3 D. Pedro I de Alcobaça, ganhou o 1.º prémio nas...

Futsal: Uma década de “ouro” coroada com o 25.º título

O Sporting revalidou o título nacional, no passado sábado, depois de vencer o Benfica (4-3) no terceiro jogo...

Vai uma “jogatana” de padel?

Pode parecer estranho, mas esta história sobre o padel começa a ser contada por um treinador de... futsal....

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!