Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023

Hóquei: 750 stickadas para a imortalidade

Data:

Partilhar artigo:

Vasco “750” Luís. Ou Vasco “matador” Luís. Como preferir, caro leitor. No fundo, qualquer desígnio assenta na perfeição à veia goleadora de uma das maiores lendas vivas da história do Hóquei Clube de Turquel.

This Content Is Only For Subscribers

Please subscribe to unlock this content. Enter your email to get access.
Your email address is 100% safe from spam!

O eterno capitão dos turquelenses já chegou à tão meritória marca. E falamos, “apenas e só”, nos golos marcados enquanto sénior. Imagine-se, agora, as centenas (ou até mesmo milhares…) que Vasco Luís apontou durante o percurso de formação. Aí a multiplicação seria infinita.

E falar de Hóquei Clube de Turquel é falar de… Vasco Luís. Porque o ainda jogador (o fim de carreira pode muito bem esperar…) já entrou, por direito próprio, na galeria dos notáveis que desde 1964 (ano de fundação do clube) ajudaram a elevar os “Brutos dos Queixos” aos mais altos patamares nacionais e internacionais. Porque Turquel pode ser uma localidade pequena, mas as suas gentes são (mesmo) muito grandes.

A patinar desde tenra idade – seguindo o legado da família, uma vez que o avô foi sócio-fundador, o pai foi diretor e presidente e o irmão foi jogador e treinador –, Vasco Luís estreou-se a marcar pelos “mais velhos” no dia 6 de novembro de 2004, na derrota (3-7) do HC Turquel no reduto do Alenquer. Daí para cá, foi sempre a somar. Os golos dividem-se por 1.ª Divisão (270), 2.ª Divisão (417), 3.ª Divisão (4), Taça de Portugal (49), Taça CERS (7) e Elite Cup (2).

Apesar da humildade que o carateriza, Vasco Luís, em declarações ao REGIÃO DE CISTER, não esconde a emoção pelo momento, sem esquecer, porém, que o principal objetivo é sempre o sucesso coletivo. “Não vou esconder que é um motivo de enorme orgulho. É um número considerável, mas o mais importante é que cada golo possa ajudar o Hóquei Clube de Turquel a ganhar. É o meu clube do coração, é o clube da minha família, e os objetivos coletivos estão sempre acima de quaisquer objetivos individuais”, assume o capitão, de 35 anos.

E consegue recuar mais de 18 anos para se lembrar do primeiro golo? “Lembro-me que foi num jogo mau da nossa equipa, numa derrota com o Alenquer”, recorda o número 9. E o mais marcante? “Foi contra o Benfica, numa meia-final da Taça de Portugal [derrota por 2-9, numa partida realizada no dia 23 de junho de 2012]. Apesar de também termos perdido por muitos, a verdade é que ainda era um jovem com pretensões mais altas no hóquei em patins e marcar um golo ao Benfica teve um sabor bastante especial”, confessa o “matador”.

Com uma vida dedicada ao emblema turquelense, no qual está há mais de 30 anos, Vasco Luís não tem dúvidas em afirmar que é ali que se sente, literalmente, em casa: “Nunca planeei isto, mas sinto um grande orgulho em poder dar seguimento ao legado da minha família, nomeadamente do meu avô, do meu pai e do meu irmão. É uma herança que vale mais que muitos títulos que pudesse ter conquistado. Este título do legado familiar é o maior de todos!”.

Depois de marcar o golo 750, que aconteceu no sábado, na receção ao Marítimo, Vasco Luís tem bem presente o golo que realmente deseja que aconteça: “O golo da subida! Seria ouro sobre azul. Mas se não for eu a marcar, que seja qualquer um dos meus companheiros de equipa. O que queremos mesmo é que o HC Turquel suba de divisão, se possível, já esta temporada.”

E para chegar a tão imponente número, foi preciso… “patinar sem parar”. Além dos muitos jogos em que apontou um ou dois golos, Vasco Luís alcançou outras proezas dignas de registo: 3 golos em 58 ocasiões, 4 golos em 23 jogos, 5 golos em 12 partidas, 6 golos em quatro momentos, e 7 golos em dois jogos. É obra! É muito festejo. São muitos anos de “mira afinada”.

“Lá em cima”, o avô estará, por certo, orgulhoso. Como estão, no plano terrestre, o pai, a mãe, o irmão e restante família. Parabéns, Vasco “Turquel” Luís! 

AD Footer

Artigos Relacionados

Andar com o escritório numa mão

Fábio Filipe tinha duas opções: passar das funções de club manager para área manager de um clube de...

‘Dragão’ Stephen Eustáquio marca e conquista Taça da Liga de futebol

Stephen Eustáquio teve papel bastante importante ao apontar o primeiro golo na vitória que deu ao FC Porto...

Oonify abre espaço dedicado à formação na Nazaré

A Oonify abriu, recentemente, na Nazaré, um novo espaço de formação, a que chamou de "Oonify Space". O novo...

Sons Com(n)Sentidos ouvem-se agora nos cavaquinhos e percussão da Cercilei

Em cima do palco, os homens apresentam-se de suspensórios, as mulheres levam uma bandolete na cabeça. Todos vestem...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!