Associação de Escoteiros de Portugal chega a Mira de Aire

Nasceu em Mira de Aire um grupo de escoteiros que promete deixar a sua marca na comunidade da freguesia. 

Criado há apenas um mês, conta já com 40 elementos, com idades dos 6 aos 51 anos, e o número de inscrições promete superar todas as expectativas. “A adesão e o interesse da comunidade tem sido uma grande surpresa”, confirma  ao REGIÃO DE CISTER o escoteiro chefe do grupo. 

De forma faseada, as instalações do antigo posto da GNR, local que foi cedido pela Câmara de Porto de Mós e que serve agora de sede aos escoteiros de Mira de Aire, serão adaptadas às necessidades do grupo. “A localização não poderia ser melhor, estamos a dois passos da ‘nossa mata’ [polje]”, refere Artur Gomes. é ali que se pretende formar crianças e jovens, “incutindo-lhes valores como a capacidade de se relacionarem com os outros, de trabalhar em equipa, de forma a atingirem os seus objetivos pessoais e os da equipa”. “É fundamental prepará-los para qualquer desafio que possa surgir nas suas vidas para que o consigam ultrapassar com um sorriso”, defende Artur Gomes. 

O grupo estará em formação até ao próximo mês de abril, podendo depois fazer o seu “compromisso de honra” e, a partir desse momento, começar a usar o “lenço preto” que vai identificar os elementos de Mira de Aire perante os restantes grupos. A cor preta vai representar as grutas de Mira de Aire. O lenço tem outras três cores que identificam a freguesia: o branco que simboliza as duas serras que formam o Polje Mira-Minde, o dourado que representa a lançadeira numa referência à indústria têxtil e o azul do escudo e da linha da lançadeira. Na peça vai constar ainda uma flor de lis e o nome da vila em código morse na sua lateral.

Para quem desconhece a história do Escotismo em Portugal, poderá parecer estranho que se utilizem duas grafias para uma palavra, que, além de homófona é homónima. Mas a explicação é simples: em 1913 foi fundada a primeira associação escotista portuguesa, a Associação dos Escoteiros de Portugal, segundo os princípios delineados por Lord Baden-Powell, o fundador do movimento escotista. Dez anos mais tarde, a Igreja Católica idealizou outra associação escotista, destinada exclusivamente aos jovens que professavam a religião católica. Assim nasceu o “Corpo de Scouts Católicos Portugueses”, que mais tarde passou a designar-se “Corpo Nacional de Escutas”. A dinâmica, a missão e os valores destes dois movimentos são semelhantes. No entanto, a Associação dos Escoteiros é mais direcionada para a natureza. No distrito há apenas mais três grupos de escoteiros: um em Évora de Alcobaça, no concelho de Alcobaça, e os restantes no concelho de Leiria.