“Brigada dos Plásticos” ensina alunos de Porto de Mós a reciclar e reutilizar

A poluição causada pelos plásticos é um problema cada vez mais atual. Estudos comprovam que em 2050 existirá mais plástico no mar do que peixes. A vontade de tentar atenuar este cenário levou o município de Porto de Mós a criar a “Brigada dos Plásticos”, que pretende demonstrar às crianças, através de exemplos práticos, que a vida do plástico pode ser prolongada.

O projeto decorre no âmbito da ação internacional de sustentabilidade “Precious Plastic”, que promove o debate sobre o problema do uso excessivo de plástico. Através do desenvolvimento de máquinas capazes de produzir matéria-prima com plástico descartado, o projeto open-source cria novas aplicações para o material em “fim de vida”. A iniciativa pretende promover a partilha entre os criadores e a comunidade, introduzindo práticas mais ecológicas e promovendo o desenvolvimento de produto de uma forma “sustentável e controlado”.

Deste modo, a “Brigada dos Plásticos” tem com principal foco as crianças. A atividade, que ainda está na primeira fase, vai ser desenvolvida em projeto-piloto para todas as escolas básicas do concelho através do FabLab de Porto de Mós, um laboratório de prototipagem e fabricação digital de iniciativa municipal. Utilizando-se da “curiosidade natural” das crianças, a atividade vai demonstrar aos mais novos todo o processo de transformação das embalagens, desde a trituradora ao forno, que pode transformar uma garrafa de plástico numa capa para telemóvel. Os alunos que contribuírem com matéria-prima recebem uma lembrança produzida pelos próprios no FabLab de Porto de Mós.

E como o saber não tem limites, as eventuais questões dos alunos serão respondidos pelo Diogo e pela Alice, personagens de uma banda de desenhada, que promove a “aprendizagem de uma forma criativa e estimulante”.

“Pensamos que, em parceria com a escola e com a disponibilidade dos professores, vale a pena reforçar a nossa ação e investir em iniciativas que se podem tornar fundamentais para um futuro ambientalmente mais equilibrado do nosso planeta”, declarou o presidente de Câmara de Porto de Mós. Na perspetiva de Jorge Vala, é “necessário sensibilizar as crianças para que as crianças eduquem os adultos” e este projeto é um “exemplo”.

A apresentação do projeto no Cine-teatro de Porto de Mós contou com a presença da secretária de Estado do Ambiente, que sublinhou a importância dos municípios na “luta pela sustentabilidade”. “Projetos como este têm um potencial de transformação local enorme, que podem fazer parte de uma resposta coordenada, que vem das pessoas. Estou 100% confiante que este é um dos projetos que pode influenciar o círculo mais local de uma maneira muito mais permanente e por isso dou os meus parabéns“, declarou Inês Costa.

Mas as ações da autarquia não ficam por aqui. No âmbito do pacto institucional de valorização da economia circular do centro, promovido pela CCDR, estão em curso mais dois projetos: “Borra Ponto”, criado pela freguesia de Alqueidão da Serra, e a construção do Ecocentro.