Centro de Apoio Social Serra D’Aire e Candeeiros prepara novo lar residencial

A criação de um edifício com polivalência no Centro de Apoio Social Serra D’Aire e Candeeiros (CASSAC), localizado em Marinha da Mendiga, na União de Freguesias de Arrimal e Mendiga, vai melhorar a resposta social da região serrana do concelho de Porto de Mós. 

O projeto prevê a construção de raiz de uma estrutura residencial para idosos com capacidade para 39 utentes e inclui ainda outras valências como o apoio domiciliário para 42 idosos e centro de dia para 30 utentes. “Este projeto faz todo o sentido porque vai dar resposta a uma região do concelho que não tem uma estrutura deste tipo para acolher pessoas”, sublinhou a vereadora com o pelouro da Ação Social da Câmara de Porto de Mós, durante a reunião do executivo municipal do passado dia 12, ao apresentar a intenção da instituição em submeter uma candidatura no âmbito do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES) - 3.ª Geração. 

Para a nova estrutura do CASSAC está também prevista a construção de uma unidade de reabilitação de “caráter inovador” que “fará a passagem do hospital para o domicílio, sem que seja necessário permanecer na instituição”, explicou Telma Cruz. 

Na mesma reunião de Câmara foram também discutidas outras duas candidaturas no âmbito do PARES. Uma delas tem como objetivo a construção de uma estrutura para pessoas com deficiência intelectual na Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Leiria (Cercilei) com capacidade para 30 utentes. O espaço será construído na freguesia de Marrazes (Leiria), mas terá como área de influência a população dos concelhos de Leiria, Batalha e Porto de Mós. 

Já a candidatura para o projeto da Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós prevê a reestruturação do lar desta instituição, não estando em causa o aumento da sua capacidade. Num investimento estimado de 1 milhão de euros, a remodelação pretende o melhoramento das condições prestadas aos utentes da instituição, garantindo o cumprimento das normas de segurança atualmente exigidas. 
As obras do lar residencial, que tiveram início no passado mês e que estarão concluídas dentro de um ano, visam ainda a diminuição de custos commanutenções. De acordo com Paulo Carreira, provedor da Misericórdia de Porto de Mós, estas remodelações têm vindo a representar anualmente uma despesa de cerca de 30 mil euros para a instituição.  

A intervenção do espaço vai abranger todo o edifício, através da remodelação das cozinhas, dos quartos e das casas de banho e da modernização de todas as infraestruturas básicas, nomeadamente ao nível das redes elétrica, de água e de de saneamento.