Diana Nicolau leva comédia ao Centro Cénico da Cela

“Vou Levar-te Comigo” é o nome da peça de comédia teatral que a alcobacense Diana Nicolau vai levar ao Centro Cénico da Cela, no próximo domingo às 16 horas. Mas a atriz não vem sozinha e traz com ela... os atores José Raposo e Vera Mónica. 

No papel de “Vitória”, uma encenadora jovem que está a dirigir dois atores mais velhos e “bastante cabotinos, egocêntricos que põem o trabalho dela em causa a cada dez minutos”, Diana Nicolau está a substituir Sara Barradas, que foi mãe há pouco tempo. “É claro que ao sermos duas atrizes diferentes, a personagem representada, apesar de ser a mesma, tem relevos diferentes”, revela Diana Nicolau ao REGIÃO DE CISTER. No “corpo” da alcobacense, Vitória “é uma encenadora exigente e impaciente, mas com muita paixão pelo que faz. E a sua insegurança às vezes leva-a a ser demasiado explosiva”, revela a atriz. 

“Substituir um ator num espetáculo é sempre uma posição diferente, talvez até ingrata porque nunca se tem muito tempo para trabalhar a personagem e descobrir coisas nos ensaios”, nota Diana Nicolau, que tendo feito dois ensaios teve de se “encaixar da melhor forma num espetáculo já montado e com uma dinâmica muito própria por parte dos actores e dos músicos em cena”.

Mas a maior responsabilidade para a alcobacense é partilhar o palco com os atores José Raposo e Vera Mónica, juntamente com os músicos que os acompanham. “Tudo junto é uma explosão de felicidade e uma energia contagiante que espero que chegue ao público”, afirma. 

Sobre a peça, “não esperem nada e preparem-se para tudo”, revela. “É uma viagem musical desde Angola a Portugal, passando pelo Brasil, Itália e França, com muita palhaçada pelo caminho e momentos muito emocionantes interpretados pela Vera e pelo Zé, quando recordam a sua passagem pelo Parque Mayer”, conta. “Sempre tive pena de não viver o teatro e o auge do Parque Mayer nos anos 70, e agora sinto que estou mais próxima disso do que alguma vez podia estar”, acrescenta a ex-moranguita.

Para Diana Nicolau o melhor desta experiência, além de estar em cena com os prestigiados atores, “é tudo o que se passa fora de cena”. “As nossas viagens, as histórias, as horas de risota, os desabafos, as piadas em cena, o apoio que damos uns aos outros. Somos uma equipa e independentemente do papel que representamos, no final do espetáculo, estamos todos de joelhos no chão a apanhar cabos ou a arrumar adereços e roupas e a despir vestidos e a tirar plumas uns aos outros”, desabafa a atriz. Lamentando não ter muito tempo para mostrar à equipa “o bom da nossa terra”, enaltece o trabalho dos pais na fase de pré-produção: “a minha mãe anda a colar cartazes e a vender bilhetes como se a vida dela dependesse disso”. Mas o espírito do “Vou Levar-te Comigo” é mesmo esse. Um espetáculo familiar.