Escultor Thierry Ferreira regressa à China

Em menos de cinco meses, Thierry Ferreira já conquistou a Cisjordânia, a Argentina e, recentemente, regressou à China. O historial das apresentações mundiais ficará completo se lhe juntarmos França, Brasil e Argentina.
O escultor alcobacense voltou a Pingtan (Província de Fujian), onde participou nas comemorações da inauguração do Parque de Exposição Internacional de Escultura de Pingtan. Neste espaço, apresenta uma réplica em bronze da sua escultura ‘Cubic’.
Através desta obra escultórica, Thierry Ferreira revela uma reflexão sobre a arte pública contemporânea, confrontando-a com a história da arte. Descreve esta peça como “contrariedade da tendência da escultura vertical, que potencia à exaustão a ideia de três dimensões, podendo por isso ser colocada em qualquer posição, forçando assim o espetador a sentir necessidade de visualizar todas as faces da escultura”. E não tem dúvidas de que “mais do que um instrumento político, a escultura é pensamento”.
O convite para a concretização desta peça surgiu, há dois anos, quando Thierry Ferreira se encontrava no Brasil a participar numa residência artística com o escultor chinês e comissário do evento, Liu Yang. 
Tendo como tema ‘Harmonia, desenvolvimento e sonho’, o Parque de Pingtan integra um projeto urbanístico que se estende num percurso de 1 Km. São 48 as réplicas de obras de escultores de renome e artistas de todo o mundo, construídas em diferentes materiais, como pedra, aço inoxidável, bronze e fibra. 
A primeira fase do projeto do artista plástico alcobacense começou a desenhar-se em abril do ano passado, com a realização e o envio de uma maquete para a China. Seguiu-se a produção do modelo e da fundição, com acompanhamento contínuo do processo através de videoconferência. Por fim, a inauguração do Parque. Assim, se vão espalhando pelo mundo as obras de Thierry Ferreira.