Estudantes de Alcobaça oferecem materiais a crianças do IPO

A Lista Bolt não conseguiu “fazer a diferença” na Escola Secundária D. Inês de Castro (Esdica) quando foi a votos para a Associação de Estudantes, no passado mês de setembro, mas deixou “a sua marca” no Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil, ao entregar materiais na ala da pediatria com as receitas angariadas ao longo do verão passado e da campanha eleitoral.

“Já que não conseguimos vencer as eleições na escola decidimos fazer a diferença fora do recinto escolar“, conta Francisca Cruz, aluna do 12.º ano da Esdica, candidata a presidente da lista Bolt. Os cerca de 500 euros que o grupo de alunos angariou no último verão em quermesses, festival de sopas, torneio de futsal, venda de rifas e de bolos, foram “transformados” em brinquedos, jogos de tabuleiro, materiais escolares e produtos de higiene para as crianças internadas no IPO em Lisboa. “Como o hospital não aceitava dinheiro, comprámos os produtos e materiais que nos foram indicados como necessários”, expõe a jovem, de 17 anos. 

Este já era, aliás, o plano dos alunos no caso de a lista Bolt não vencer as eleições da Associação de Estudantes da Esdica. “Passámos o verão a realizar atividades para angariar dinheiro. No caso de vencermos, as receitas reverteriam para as atividades da Associação de Estudantes programadas ao longo do ano. No caso de não vencermos, doaríamos o dinheiro a uma boa causa”, explica Francisca Cruz.

“Inicialmente pensámos em doar o dinheiro a alguma instituição de Alcobaça, mas como uma mãe de uma aluna era enfermeira, acabou por facilitar o contacto com o IPO”, adianta. Por outro lado, o gesto “também acabou por levar o nome de Alcobaça e da escola mais longe”, reforça a jovem, que foi acompanhada pelos colegas António Justiniano, Beatriz Almeida e Laura Crisóstomo ao IPO em Lisboa.

“Nada melhor do que depois da missão cumprida, a entrega dos bens, um sorriso genuíno de uma criança”, resume Francisca Cruz quando se deslocou à capital para entregar os materiais.
Estiveram envolvidos na lista Bolt mais de 200 alunos, apesar de o núcleo duro se reduzir aos 40 elementos. Fica a certeza que, apesar de não terem vencido em votos na escola, ganharam na cidadania e na solidariedade fora do recinto escolar.