Hóquei em Patins: Duarte Delgado e Janeka em altas por terras gaulesas

O fim de semana foi de pausa na 1.ª Divisão de França, mas nem por isso Duarte Delgado e João Silva abrandaram o ritmo. Os alcobacenses integram o plantel da La Vendéenne, mas são também treinadores dos escalões de formação do clube gaulês. Mesmo que, normalmente, ao fim de semana não consigam acompanhar os meninos nos jogos. 

“Trabalhamos com os meninos durante a semana e depois são os ‘coach’ que os orientam ao fim de semana”, explica ao REGIÃO DE CISTER o turquelense Janeka, de 28 anos, que esta temporada se aliou ao beneditense Duarte Delgado, de 35 anos, para juntos equiparem de vermelho e preto. Na quadra é a primeira vez que jogam lado a lado, mas os alcobacenses já se conhecem há 20 anos dado que José António, pai de Janeka, já tinha orientado Duarte Delgado nas camadas jovens do HC Turquel. E se foi feliz com o pai também o é com Janeka, que recordou a vitória diante do campeão em título HC Quevert (10-5), numa partida em que os dois jogadores escreveram o nome na lista de marcadores.

Agora continuam a escrever história, mas por terras gaulesas. “Os objetivos neste clube são claros e passam por discutir todas as competições que disputamos”, destaca o beneditense, que é ainda mais ambicioso: “gostaria de ser campeão nacional pela La Vendéenne”. Duarte Delgado e Janeka somam 10 e 4 golos no campeonato, respetivamente, e contam no clube com a presença do compatriota Marcos Pinto, que também ajuda a que seja mais fácil estar longe de casa. “A minha adaptação foi natural. Ter dois portugueses na equipa ajudou e o facto de ter estudado a língua também me proporcionou uma fácil adaptação”, disse Janeka, que se licenciou em Engenharia Eletrotécnica.

Mais difícil foi o caso de Duarte Delgado, formado em Educação Física, que vive em França há seis anos e que confessa que os primeiros meses não foram especialmente entusiasmantes. “A dificuldade em comunicar e a diferença na forma de estar na modalidade foram as principais mudanças”, disse, notando que apesar das adversidades era um desafio que queria na carreira. “A possibilidade de ser treinador/jogador de uma equipa sénior foi predominante”, conta Duarte Delgado, relembrando quando ingressou no Al Plonéour Lanvern na primeira experiência internacional.

Janeka e Duarte Delgado representaram os Brutos dos Queixos e não escondem o desejo de um dia regressar a casa. “Quando se é português voltar ao País é sempre uma hipótese”, enaltece João Silva, enquanto Duarte Delgado é mais comedido nas palavras. “Neste momento não é um objetivo voltar, mas não sei o dia de amanhã”.

Por enquanto, vão coleccionando vitórias pela La Vendéenne e estão a 2 pontos do líder Saint Omer. Quem sabe se no fim a festa não se faz com sotaque alcobacense.