Minimercado Coviran reúne quatro décadas de história e resiliência na Benedita

O espaço que acolhe o Supermercado Coviran, na Benedita, reúne mais de quatro décadas de história e vastas memórias. Já foi um espaço dedicado ao comércio de eletrodomésticos, já serviu de videoclube e até acolheu uma parafarmácia. “Reinventar” é a palavra de ordem do espaço comercial que honra agora a memória do fundador.

A aventura de José Machado enquanto proprietário de um pequeno negócio iniciou-se na década de 1980. Em plena revolução tecnológica, o empresário decidiu abrir uma loja dedicada ao comércio de eletrodomésticos na Rua José Ribeiro Almeida. “Durante alguns anos o negócio foi muito bem-sucedido na vila.

Antigamente, a concorrência não era tão vasta como hoje e era hábito comprar os eletrodomésticos nas lojas mais próximas e de confiança”, recorda Manuela Gens, atual gerente do espaço e viúva do fundador. 

Contudo, o avançar dos anos trouxe uma quebra no setor de atividade. E o que para muitos seria uma “rasteira”, para José Machado foi uma oportunidade. “O espaço passou a acolher o ‘Telesom Clube de Vídeo’, um espaço dedicado ao aluguer de filmes e de jogos para consolas. Na época estava muito em voga, pois não existia um acesso tão facilitado à internet como hoje”, recorda.

Assim, o estabelecimento era ponto de paragem obrigatório para os amantes da sétima arte, assim como para os jovens adeptos de jogos virtuais.

Porém, a generalização do uso domiciliário da internet voltou a trazer um novo desafio para o empresário, que, uma vez mais, decidiu arregaçar mangas e dar um novo destino o espaço. “Ele [José Machado] nunca ficava de braços cruzados perante um problema. Procurava sempre uma solução e, à data, a Parafarmácia foi a ideia vencedora”, graceja a mulher do antigo proprietário.

Na época, a atual gerente ficou desempregada e decidiu ajudar o marido na gestão do novo negócio. “As nossas vidas profissionais nunca se cruzaram, mas quando fiquei desempregada o meu marido pediu-me para trabalhar com ele durante algum tempo e foi assim que me envolvi mais no negócio da família”, explica. O contacto com o público foi um dos fatores mais aliciantes para Manuela Gens, que não antevia um futuro associado ao comércio. 

Anos mais tarde, a Parafarmácia deu lugar ao atual supermercado, associado à cooperativa espanhola de supermercados Coviran. “Foi um passo importante e que trouxe uma estabilidade necessária”, conta a comerciante. 

Manuela Gens assumiu a gestão do espaço há dois anos após a morte do marido. “Este negócio era o sonho dele. Mesmo perante vários contratempos ele nunca baixou os braços e tinha um orgulho enorme no que construiu.

Cabe-me garantir a continuidade deste sonho”, declara a empresária, que conta com o apoio dos dois filhos.  

Diz a sabedoria popular que “é na crise que se cresce” e o legado de José Machado na vila da Benedita é a prova disso mesmo.