Physioclem une utente e fisioterapeuta em sala online

A Physioclem adaptou-se à “nova normalidade” e agora “atende” os seus utentes não só presencialmente, como também através de consultas online. Na “Physioclem Online”, o cliente tem acesso a uma avaliação criteriosa e a exercícios terapêuticos que são disponibilizados através de vídeos ou através de uma demonstração prática do fisioterapeuta.

Terminado o período de confinamento, em que foram realizadas mais de mil sessões online, e após a realização de um inquérito de satisfação (com média de 4,6 numa escala de 5), a Physioclem decidiu acrescentar este serviço às suas áreas clínicas.

Na consulta online o utente conhece o diagnóstico, é aconselhado e pode recorrer à plataforma physiotools, caso seja necessária intervenção física. A empresa garante que esta é uma “grande vantagem”, dado que possibilita que “se evitem deslocações, rentabilizando o tempo do utente”, que pode estar fora da área de residência,  seja em território nacional ou internacional, ou caso esteja em trabalho ou de férias.

Esta nova plataforma permite tratar “situações pós-operatórias que tenham indicação médica para fisioterapia, reabilitação pós imobilização por fratura, situações em fase de retorno à prática ou ao trabalho ou condições de dor em fase aguda ou crónica”, conforme se lê na página dedicada à Physioclem Online.

As consultas estão também disponíveis para casos geriátricos, intervenção em grupo, como nos programas de estabilização da lombar ou outros, e em contexto de trabalho, como aconselhamento ergonómico, postural e de exercícios de prevenção de lesões ligadas ao trabalho.

Este novo método de consulta em tempo real liga utente e fisioterapeuta mais especializado, em tempo real, e a consulta pode decorrer entre as plataformas  Hangout, Messenger, Zoom, Skype e Whatsapp. A Physioclem assegura também a entrega dos equipamentos necessários, através do ToolKit Physioclem Online, em que o material é enviado para casa do utente para que possa efetuar os exercícios prescritos.

“Os últimos tempos obrigaram-nos a uma reinvenção. Empurraram-nos para a adoção de soluções que de outra forma talvez demorassem mais uns 10 anos para lá chegarmos. Fez-nos olhar de maneira diferente para as tecnologias de que já dispúnhamos e sair da caixa para as integrar no nosso trabalho”, sublinha o sócio-gerente da empresa. “Desta forma, e com a grande mais-valia da presença constante do fisioterapeuta, construímos um serviço capaz de responder às necessidades dos utentes em qualquer parte do país ou do mundo”, completa Marco Clemente.

Entretanto, a Psysioclem também se associou ao Fundo de Emergência Social, criado pela União das Freguesias de Alcobaça e Vestiaria (UFAV), doando 0,50 euros por cada consulta realizada na clínica em Alcobaça. A empresa dedicada à saúde, e criada em 2002, tem sete clínicas na região, nomeadamente em Alcobaça e Nazaré.