Universidade Sénior da Nazaré fechou ano letivo com festa nas redes sociais

A Universidade Sénior da Nazaré encerrou o ano letivo 2019-2020 com uma sessão comemorativa que decorreu na internet e não como é habitual numa festa de convívio entre dirigentes, corpo docente e alunos.

Num ano atípico, apanhado a meio pela pandemia da Covid-19, realizaram-se 125 aulas online, proporcionando as atividades regulares e o acompanhamento diário da comunidade, mesmo à distância, diminuindo o distanciamento e esbatendo as consequências do isolamento social imposto pelo vírus.

Filipa Lopes, coordenadora de um dos maiores projetos da rede de Universidades Seniores, tanto pela oferta como pelo número de alunos a frequentar as aulas, agradeceu o “empenho de todos no sucesso desta aposta no envelhecimento ativo”. “O envelhecimento tornou-se numa conquista e num grande desafio. É preciso pensar no futuro, ou seja, na forma de melhor servirmos todos os que se dirigirem a este projeto”, sublinhou.

Por sua vez, o presidente de Câmara da Nazaré, Walter Chicharro, destacou a “relevância da aposta do Município neste projeto da Universidade Sénior na vida dos que a frequentam”.

Já o vereador responsável pela área da educação, Manuel Sequeira, recordou que se viveu um “ano atípico, devido à pandemia”, e que este impediu a concretização de um dos fundamentos deste projeto, “o contacto social e o convívio de proximidade”.

A funcionar há 12 anos, e com um crescimento acentuado ano após ano, a Universidade Sénior funciona na antiga escola primária do Bairro dos Pescadores, apoiada por três polos (Valado dos Frades, Fanhais e Famalicão), para promover igual oportunidade de acesso aos seniores de todo o concelho.

O ano letivo que encerrou contou com 458 alunos inscritos, divididos por 74 turmas, e uma oferta formativa composta por 28 disciplinas conduzidas por 49 professores.

O novo ano letivo começou já a ser preparado. As aulas serão retomadas no início de outubro. O regime de frequência das disciplinas está dependente da evolução da atual pandemia