Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023

Presépio de Jaime Roxo “ganha” vida dentro da Igreja da Cela

Data:

Partilhar artigo:

O presépio de Jaime Roxo é já uma constante no Natal da região. Este ano está na Igreja Paroquial da Cela, até ao próximo dia 8 de janeiro, e pode ser visitado entre as 14 e as 18 horas.

O Natal não é o mesmo sem construir o presépio. E o Natal na Cela e na região já não é o mesmo sem o presépio animado de Jaime Roxo. Este ano, o celense vai levar dezenas de figuras para o interior da Igreja Paroquial da Cela, o que configura uma novidade em mais de “vinte anos de carreira”. 

Ao longo dos anos Jaime Roxo foi acumulando peças e decorações para o seu presépio e precisaria “da totalidade da Igreja e de outras três ou quatro iguais” para instalar todo o seu espólio. De facto, o portefólio do artesão daria para enfeitar um espaço com “mil metros quadrados”. Como a igreja da Cela não tem, nem perto, essa dimensão, Jaime Roxo instalou, ao longo das últimas semanas, “apenas” 40 das suas peças num espaço de cerca de 60 metros quadrados.

Região de Cister - Assine já!

“Este ano temos apenas os núcleos de Belém e Jerusalém devido às limitações de espaço”, refere o carpinteiro. Ainda assim, Jaime Roxo está “contente” com o trabalho final e confiante de que trará muitos visitantes para “conhecer o património” da freguesia da Cela.

O gosto pelos presépios surgiu, curiosamente, na Igreja. Foi, ainda criança, ao acompanhar o pai na construção do presépio da igreja que “apanhou o bichinho” e o que começou como um sonho de menino depressa se tornou num hóbi. Atualmente, o carpinteiro tem mais de duas centenas de bonecos animados, todos feitos à mão, e perdeu a conta às horas que já empregou para montar presépios em vários pontos da região e do País.

O presépio de Jaime Roxo tem, também, uma vertente didática. Com as figuras animadas, o celense tenta construir uma pequena janela para o passado, “mostrando como era o quotidiano do antigamente, com todas as profissões e costumes tradicionais” como a agricultura de subsistência, o ferreiro ou o latoeiro. “Ao visitar o presépio, os mais novos podem também aprender como era a vida no passado”, defende Jaime Roxo.

 

AD Footer

Artigos Relacionados

Andar com o escritório numa mão

Fábio Filipe tinha duas opções: passar das funções de club manager para área manager de um clube de...

‘Dragão’ Stephen Eustáquio marca e conquista Taça da Liga de futebol

Stephen Eustáquio teve papel bastante importante ao apontar o primeiro golo na vitória que deu ao FC Porto...

Oonify abre espaço dedicado à formação na Nazaré

A Oonify abriu, recentemente, na Nazaré, um novo espaço de formação, a que chamou de "Oonify Space". O novo...

Sons Com(n)Sentidos ouvem-se agora nos cavaquinhos e percussão da Cercilei

Em cima do palco, os homens apresentam-se de suspensórios, as mulheres levam uma bandolete na cabeça. Todos vestem...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!