Quarta-feira, Julho 6, 2022
Quarta-feira, Julho 6, 2022

Café Damásio é ponto de encontro no Bárrio há mais de um século

Data:

Partilhar artigo:

Com mais de um século de vida o café Damásio, localizado em Pinhal Fanheiro, no Bárrio, já foi ponto de encontro de diferentes gerações e chegou a ser o único espaço comercial daquela localidade

Com mais de um século de vida o café Damásio, localizado em Pinhal Fanheiro, no Bárrio, já foi ponto de encontro de diferentes gerações e chegou a ser o único espaço comercial daquela localidade. Hoje em dia, os clientes são menos, mas a população continua a estimar o espaço e o seu proprietário. De tal forma que há até uma rotunda “batizada” com o nome do café.

É com alguma nostalgia que José Paulino de Sousa, atual proprietário do café, recorda o dia em que assumiu o legado deixado pelo sogro, conhecido na localidade como “Damásio”. “O meu falecido sogro era um homem com espírito empreendedor  e tinha vários negócios neste local, entre os quais venda de adubos, uma modesta taberna e uma mercearia. Na época, esta era uma zona com muito poucas habitações e nenhum comércio”, relembra o octagenário. 

Após a morte do sogro, José Paulino de Sousa geriu o espaço ao lado da mulher, até que a vida “pregou uma valente rasteira”. “A minha mulher ficou gravemente doente e acabou por falecer. Foi desta forma que, infelizmente, assumi o negócio. Foi uma época complicada”, desabafa.

A verdadeira paixão de José Paulino de Sousa sempre foi a agricultura e durante largos anos conciliou ambas as responsabilidades. “Contava com o apoio de uma funcionária e então passava os dias no campo. Aproveitava o café também para vender alguns dos produtos que plantava e então era quase um café e uma humilde mercearia em simultâneo”, graceja o homem, que tem garantido o funcionamento do café nos últimos anos.

O espaço é modesto, mas “se as paredes falassem teriam muito para contar”, diz José Paulino de Sousa. “Já passou tanta gente por aqui e embora hoje o negócio esteja muito mais fraco a verdade é que houve uma época em que tive casa cheia”, afiança. Entre os cafés e as cervejas, há também chocolates, bebidas espirituais e vários retratos de Nossa Senhora de Fátima e um espaço que criou para as suas leituras. E como mais vale prevenir do que remediar, também há medicamentos nas prateleiras do café. 

Os dias de José Paulino de Sousa são agora passados à porta do estabelecimento, “a descansar, a cumprimentar os vizinhos e a esperar um ou outro freguês”. O futuro? Essa não é uma preocupação para o barriense, que revela ser feliz a ver a vida passar em frente ao café. “Sou feliz aqui, é a minha casa e de toda a gente que vier por bem”, garante o genro de Damásio, que deu nome à rotunda do Pinhal Fanheiro pelo facto de o café estar instalado a poucos metros da rotunda. “Obviamente que não é nada oficial, é uma brincadeira entre as gentes da terra”, diz, entre risos.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Futebol: Ginásio fica pelas meias-finais no Inatel

O Ginásio caiu nas meias-finais do taça nacional da Fundação Inatel. Os azuis soçobraram na deslocação ao reduto...

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!