Terça-feira, Novembro 29, 2022
Terça-feira, Novembro 29, 2022

A leste, algo de novo: o despertar dos impérios

Data:

Partilhar artigo:

Gostaria de estar mais otimista. Porém, os últimos desenvolvimentos à volta da  Guerra na Ucrânia não me permitem tal otimismo. Efetivamente, nesta semana, a China deixou-se de meias palavras e afirmou o seu alinhamento pleno com a invasão das Ucrânia pela Federação Russa (FR). O mesmo vai fazendo a Índia.

Este meu pessimismo é alicerçado em factos: 1) Em termos populacionais, a China, a Índia e a Rússia somam cerca de 3000 milhões de habitantes, ao passo que o Ocidente, incluindo o Japão, Austrália e Coreia do Sul, soma cerca de 1200 milhões. 2) O alinhamento da China e da Índia com a FR esvazia, em grande parte, o alcance das sanções decretadas pelo Ocidente: um dólar – que, em 7 de março, custava cerca de 143 rublos – vale atualmente, cerca de 75 rublos. 3) Por outro lado, a China poderá substituir o Ocidente como fornecedor de alta tecnologia, em troco de petróleo muito mais barato. Deste modo, a energia que o Ocidente está a pagar a preços nunca antes praticados chega às indústrias chinesa e indiana a preços de saldo.

O Ocidente e o Oriente nunca confiaram completamente um no outro. As batalhas de Plateias e Salamina, o terror dos Mongóis, as invasões muçulmanas e subsequente resposta europeia … testemunham, a meu ver, o confronto entre o europeu individualismo humanista e o asiático anonimato dos impérios. Em nome desse individualismo, as unidades políticas europeias sempre foram pequenas – demasiadamente pequenas, diria mesmo.

Região de Cister - Assine já!

A globalização deu aos “tigres asiáticos” uma vantagem competitiva decisiva: desde que os produtos fossem baratos “na Ásia”, o Ocidente fechava os olhos às condições de trabalho, aos regimes políticos, à política armamentista. Como se viu, na crise covid-19, o Ocidente ficou completamente dependente da “fábrica do mundo”…

De leste, sopram ventos de impérios que querem fundar uma nova ordem mundial. Dinheiro e capacidade tecnológica têm. Muita gente para executar esses propósitos, também. Ainda vamos a tempo de evitar o “Declínio do Ocidente” que Oswald Spengler teorizou em 1918?

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!