Sexta-feira, Dezembro 2, 2022
Sexta-feira, Dezembro 2, 2022

Chita de Sabores inova com iguarias artesanais e “à antiga”

Data:

Partilhar artigo:

Tinha o sonho de criar um negócio, mas não tinha muita esperança de o realizar. Trabalhar num restaurante deu-lhe o impulso para meter as mãos na massa e criar a Chita de Sabores. O difícil, agora, é escolher uma entre as várias iguarias de Sandra Coito, feitas de forma artesanal e “à antiga”.

Este conteúdo é apenas para assinantes

Por favor, assine ou entre na sua conta para desbloquear este conteúdo.

“Sempre gostei de comida, de a comer e de a fazer”, aponta a empreendedora de 52 anos. Enquanto era auxiliar na escola, Sandra Coito já gostava de “inventar” na cozinha. Fazia bolachas – cuja receita ainda mantém –, e confecciona dezenas de bolos de ferradura para as festas da freguesia. Os elogios já eram “muitos”. Mas, só quando foi substituir uma “senhora” na cozinha de um restaurante é que não teve dúvidas do que queria fazer. “Estive a trabalhar no restaurante seis meses e quando voltei para casa comecei a pensar mais a sério na ideia de abrir um negócio próprio na área da gastronomia”, adianta Sandra Coito, enquanto coloca a massa das novas bolachas – de café e noz e de mel e noz – no tabuleiro para ir para o forno.

A cozinha de casa tornou-se pequena para as encomendas que recebia e foi aí que a Chitas de Sabores surgiu. Sandra Coito investiu numa cozinha industrial no espaço que servia de câmara frigorífica ao negócio de fruta do sogro, ao lado da sua casa, permitindo aumentar a área de negócio e ter um espaço aberto ao público que lhe desse um sustento. “Em Évora quase todos os estabelecimentos têm Santiago no nome e para não sermos mais um lembrei-me da chita por estarmos próximos de Alcobaça”, explica.

Nos últimos cinco anos, Sandra Coito não tem tido mãos a medir. Trabalha por encomenda, prepara uma ementa para os sábados e revende os produtos em três estabelecimentos comerciais em Alcobaça: na Granja de Cister, na Cooperfrutas e na Fruta & Companhia, em Alcobaça.

Região de Cister - Assine Já!

Entre as especialidades constam o bacalhau com natas, o bacalhau espiritual e o bacalhau com espargos brancos e camarão, arroz de pato, frango na púcara e sopa da pedra. Por semana chega a fazer 500 rissóis (camarão, atum, frango com legumes e peixe), já para não falar das dezenas de pães caseiros, amassados à mão, que coloca no forno diariamente. Sem esquecer a torta de laranja, as bolachas de aveia e as bolachas com pepitas de chocolate. “Pesquiso muito e invento também um bocadinho”, confessa. Há também produtos de época, como o bolo rei e as amêndoas na Páscoa. Há receitas que estão guardadas a sete chaves.

A loja, localizada na Bacharela, está aberta entre as 14:30 e as 19 horas de terça a sexta-feira e entre as 11:30 e as 16 horas no sábado.

A pandemia ajudou a impulsionar um negócio, que tem deixado água na boca aos clientes que chegam de várias freguesias do concelho.

AD Footer

Artigos Relacionados

APFCAN reflorestou 200 hectares desde grande incêndio de 2017

A reflorestação da área florestal que se estende até ao mar nos concelhos de Alcobaça e Nazaré é...

Alunos da Escola D. Pedro I em projeto “Music and Sports” na Turquia

Ângelo Antanoa (9.ºC), Gonçalo Domingues (9.ºB), Simão Dias (9.ºC) e Simão Fernandes (9.ºA) foram os alunos da Escola...

Concerto de Toy levou um milhar de pessoas ao pavilhão dos Bombeiros da Benedita

O pavilhão dos Bombeiros da Benedita engalanou-se, na noite da passada sexta-feira, para receber o concerto de Toy....

HC Turquel aplica goleada e reafirma candidatura à subida de divisão

O HC Turquel goleou na receção ao HC Sintra (6-2), no passado sábado, e reafirmou a sua candidatura...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!