Sábado, Abril 1, 2023
Sábado, Abril 1, 2023

Associação de Monte de Bois tem um presidente… “ator”

Data:

Partilhar artigo:

É natural de Setúbal, mas ainda não tinha 1 ano de idade quando se mudou para o concelho de Alcobaça. Por influência do pai, que era natural da localidade de Monte de Bois, na freguesia do Bárrio, foi precisamente ali que “assentou arraiais” e que ainda hoje passa o seu dia a dia. Falamos do presidente da Associação Desportiva e Recreativa de Monte de Bois, que, nos últimos anos, tem também desempenhado o papel de… “ator amador”.

Este conteúdo é apenas para assinantes

Por favor, assine ou entre na sua conta para desbloquear este conteúdo.

Pese embora no papel de figurante, a verdade é que Carlos Campos já participou em três filmes nacionais. “Tudo começou por influência do meu pai, que também chegou a participar em experiências destas e acabei por ganhar este ‘bichinho’”, começa por contar o presidente da Associação de Monte de Bois ao REGIÃO DE CISTER.

É, de resto, naquela coletividade que estão eternizadas em fotografias grande parte das cenas em que o presidente do clube participou.

A primeira aparição no “estrelato” surgiu em 2004, com a participação no filme “O Quinto Império – Ontem como Hoje”, realizado pelo icónico Manoel de Oliveira. O filme foi baseado na peça de teatro “El-Rei Sebastião”, de José Régio, e valeu a Manoel de Oliveira o Leão de Ouro à Carreira, no conceituado Festival de Veneza (Itália).

Região de Cister - Assine Já!

“As gravações para esse filme foram realizadas no Mosteiro de Alcobaça, algo que teve um sabor ainda mais especial. Como queria muito participar num filme, candidatei-me e tive a felicidade de ser escolhido. Foi apenas um dia de gravações, é verdade, acabei por ser um figurante membro do clero, mas foi uma experiência inesquecível”, conta Carlos Campos.

Depois disso, em 2008, nova participação num cenário idêntico, desta feita na “Recriação da Batalha de Aljubarrota”. Mais um momento para recordar. “Outro caso absolutamente maravilhoso. Apesar de ter sido novamente apenas um dia de gravações, a grande questão, desta feita, prendeu-se com o facto de o cenário ter sido o Mosteiro de Alcobaça. Ora, sendo eu praticamente alcobacense de gema, teve um significado ainda maior para mim. A razão de ter sido um projeto referente à épica Batalha de Aljubarrota acabou por traduzir-se num dia que eu considero de cidadania autêntica”, resume o presidente da Associação de Monte de Bois.

E como não há duas sem três, eis que mais recentemente, em 2021, Carlos Campos integrou o elenco de “O Crime do Padre Amaro”, série de ficção da RTP que é uma adaptação ao romance homónimo de Eça de Queirós. Dividida em seis episódios, a peça, que já corre nos ecrãs televisivos, também deixou o “ator” feliz: “Gostei bastante. É uma história bastante interessante e voltou a ser um gosto participar.”

Todos estes momentos vividos por Carlos Campos estão retratados numa exposição de fotografia que pode ser visitada diariamente na Associação de Monte de Bois, entre as 13 e as 14:30 horas.

AD Footer

Artigos Relacionados

Banda de Alcobaça já pode receber consignação do IRS

A ABA - Banda de Alcobaça, Associação de Artes consta, a partir do ano fiscal de 2022, na...

Isabel Ricardo conta trapalhadas de Quintch-Pintch em novo livro

“As Trapalhadas de Quintch-Pintch” é o título do 37.º livro da nazarena Isabel Ricardo, que vai passar a...

Armazém das Artes reabre com mostra sobre “Arte Negra”

Depois de mais de três anos sem atividade regular, o Armazém das Artes, em Alcobaça, retoma a programação...

Produtores desafiados a criar Vinagre de Sidra Maça de Alcobaça

Produzido a partir de sumo fresco de maçã, o Vinagre de Sidra Maçã de Alcobaça Continente Seleção já...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!