Bióloga montense integra projeto europeu de investigação

Licenciada em Biologia Vegetal e doutorada em Biotecnologia Vegetal, Ana Margarida Fortes, dos Montes, integra o projeto europeu “Inovação em Vinhas e Vinhos através do Intercâmbio Científico (vWise)”, que é coordenado pela Universidade de Bordéus, em França. A especialista é investigadora do BioISI (Biosystems and Integrative Sciences Institute).

O projeto, que reúne especialistas de 13 instituições da Europa e de outros países, nomeadamente Portugal, Espanha, França, Itália, Alemanha, Argentina, Austrália, Chile e África do Sul, tem como objetivo lidar com o impacto das alterações climáticas nas vinhas, uvas e vinhos, o que representa uma ameaça para a indústria do vinho e que tem “profundas consequências sociais e económicas”, lê-se na apresentação da iniciativa que é financiada pela União Europeia em cerca de 874 mil euros.

Ana Margarida Fortes faz parte de um grupo de 39 investigadores, daquele que é o segundo projeto do género e que promove o intercâmbio de diferentes especialistas de vários países e tem como parceiros diferentes setores económicos.

A bióloga, de 46 anos, iniciou o seu percurso académico na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) em 1996, tendo completado, em 2003, o doutoramento com classificação máxima. A sua experiência profissional iniciou-se em 1999 na casa onde se formou, tendo, por essa data, exercido funções de investigadora e supervisora de alunos da mesma licenciatura, tendo mantido o cargo até 2003, quando transitou para o Centro de Inovação (TecLabs) daquela Universidade.

Atualmente, a montense é investigadora auxiliar no centro Biofig, tendo estado envolvida, ao longo dos anos, em diversas atividades científicas, visitas e colaborações com laboratórios e institutos científicos estrangeiros, bem como no desenvolvimento de projetos de investigação dentro e fora do País.