Covid-19: Pedidos de refeição aumentam face ao primeiro confinamento

O número de refeições servidas nos estabelecimentos de ensino da região desde a interrupção do ensino presencial, decretado no final do mês de janeiro, aumentou face ao primeiro confinamento do ano passado. O agravamento das dificuldades económicas é a uma das principais razões para este novo panorama.

No concelho de Alcobaça, a Escola Secundária D. Inês de Castro, a Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto e o Centro Escolar da Benedita são as “escolas de acolhimento” preparadas para apoiar alunos até aos 12 anos cujos pais sejam trabalhadores de setores essenciais ou inseridos nos escalões A e B da Ação Social Escolar.

De acordo com dados fornecidos pela vereadora responsável pelo pelouro da Educação na Câmara de Alcobaça, entre 25 de janeiro e a primeira quinzena do mês de fevereiro foram entregues cerca de 1.730 refeições. Em média, são atribuídas diariamente 137 refeições aos estudantes do concelho. Até à data, este apoio foi solicitado por 193 alunos: 122 do escalão A, 32 do escalão B e 41 em “outas situações, nomeadamente de permanência em regime de escolas de acolhimento.

No primeiro confinamento, o município de Alcobaça apoiou diariamente 115 estudantes. Deste modo, regista-se um aumento de 16% do pedido de refeições escolares no concelho de Alcobaça durante esta nova interrupção letiva.

No concelho da Nazaré, a Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio e o Centro Escolar da Nazaré estão a funcionar como escolas de acolhimento. O município da Nazaré, à semelhança do que foi feito na interrupção letiva das férias de Natal, está ainda a proceder à distribuição de refeições escolares aos alunos de escalão A e B da Ação Social Escolar, cujos encarregados de educação manifestem essa intenção.

Os dados revelados pelo Gabinete de Educação do Município revelam que entre 25 de janeiro e 8 de fevereiro foram fornecidas 1.435 refeições provenientes das cantinas escolares. “Sendo que, destas 1.435 refeições, 132 refeições foram servidas diretamente nas escolas aos alunos que estão a ser acolhidos, desde dia 8 de fevereiro, e as restantes 1.303 foram então distribuídas ao domicílio desde o dia 25 de janeiro até ao dia 8 de fevereiro, inclusive”, explica o coordenador do Gabinete de Educação municipal. Em média, são confecionadas 80 refeições para distribuição e 25 para consumo presencialmente nas escolas de acolhimento.

Até à data, estão a ser apoiados 103 alunos, na sua maioria do escalão A da Ação Social Escolar.

À semelhança do balanço feito no concelho “vizinho”, também na Nazaré foi registado um crescimento de solicitações de apoio nas escolas. “Neste momento estamos a servir aproximadamente mais 40 refeições diárias do que no passado mês de abril”, analisa Júlio Estrelinha.