Dia de festa no Vimeiro reúne ex-presidentes de Junta

Foi um “dia histórico” no Vimeiro e por várias razões. Aproveitando a inauguração de quatro obras na aldeia, o presidente da Junta convidou todos os ex-presidentes da autarquia vivos para testemunharem a evolução da freguesia.

“Não sei se alguma vez houve algum evento no Vimeiro onde pudéssemos encontrar todos os ex-presidentes de Junta e fiz questão de convidá-los“, notou Daniel Subtil, enquanto olhava para Joaquim Custódio, António Mendes, Miguel Almeida, José Ramalho, José Fragoso e José Alexandre. O social-democrata, que está a cumprir uma década à frente da Junta do Vimeiro, aproveitou a festa da freguesia para apresentar à população e inaugurar a nova sede dos escuteiros, a nova sede da Junta, a cobertura da escola primária e o novo estaleiro da Junta.

“Todos os presidentes de Junta que passaram por esta casa tiveram uma preocupação em relação à sede de freguesia e todos foram adquirindo património”, lembrou Daniel Subtil, justificando as mudanças que têm acontecido no centro da aldeia. A sede da Junta do Vimeiro mudou-se para o edifício do outro lado da estrada, onde funcionava o Centro de Dia da Misericórdia do Vimeiro. 

Também o estaleiro da Junta passou do centro da aldeia, junto à sede de freguesia, para um armazém criado junto ao cemitério. “Foi um desencadear de obras que deram origem umas às outras”, explicou o presidente de Junta. O que explica também a nova “casa” dos Escuteiros, cedida pela Misericórdia ao segundo maior agrupamento do Oeste. 

“A sede de escuteiros foi demolida há quatro anos devido ao desenvolvimento da Misericórdia. O lar tinha de ser executado e os terrenos eram da Santa Casa. Ficar sem casa não foi coisa fácil e os escuteiros passaram um período adverso. Disponibilizámos, por isso, parte da cave do Centro de Saúde, mas não era suficiente, tendo agora a Santa Casa arranjado uma nova solução”, explicou Daniel Subtil. Também o chefe dos Escuteiros do Vimeiro, Paulo Carpinteiro, salientou que “finalmente há condições para o efetivo estar todo junto”. Além disso, foi ainda construída uma cobertura na EB1 do Vimeiro. “Para muitos é só uma cobertura, mas para quem lá passou e quem tem lá os filhos, sabe que os meninos ficavam ‘aprisionados’ dentro das salas de aula, porque não tinham condições de vir à rua em dias que tivesse a chover. A obra cria condições para eles terem o que merecem: uma melhor escola”, realçou.

Por sua vez, o presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio, valorizar a “paciência” dos escuteiros, o “empenho” da Junta, a “colaboração” da Misericórdia e dos pais da escola, considerando que “o Vimeiro é uma terra pequenina, mas com um coração muito grande”.