Escola Profissional da Nazaré abre Erasmus no próximo ano letivo

A Escola Profissional da Nazaré (EPN) vai implementar o projeto Erasmus no próximo ano letivo. O intuito é abrir horizontes e dar conhecimentos aos alunos e à comunidade escolar, que pode candidatar-se a uma vaga. 

“Acreditamos na importância de uma experiência educativa e até profissional no estrangeiro. Conhecer metodologias de trabalho dos restantes países é muito importante e essas foram as razões que levaram a EPN a decidir implementar o projeto”, revela a responsável pela realização da iniciativa na escola profissional ao REGIÃO DE CISTER. De acordo com Carla Medeiros, globalizar a escola é um desejo transversal a toda a comunidade educativa e o programa Erasmus é uma oportunidade de “impulsionar o sucesso” de todos. Deste modo, na EPN o projeto está aberto a participações de alunos, professores, equipa administrativa e Direção. “Esta é uma atividade da qual todos podem beneficiar. Não faz sentido restringir o acesso aos alunos”, nota. A EPN tem financiamento para 27 modalidades, das quais 20 deverão ser preenchidas por estudantes. 

Numa primeira fase, a escola profissional conta com escolas parceiras em Espanha, Itália e França. Os participantes vão ter a oportunidade de realizar estágios com duração máxima até quatro meses, mediante a modalidade do programa em que participam. “O Eramus+ é direcionado para alunos do 1.º e 2.º ano enquanto o Erasmus Pro é focado nos alunos finalistas. O tempo da experiência varia de acordo com o ano de escolaridade”, explica. Já existem vários estudantes interessados em participar, mas há também algum receio. “Alguns dos estudantes nunca saíram da zona de conforto. Sair de casa e viver de forma independente durante alguns meses cria receio nos pais e nos adolescentes. Mas esta é uma oportunidade única e todos têm noção disso”, reitera.

Após o final deste ano letivo, a equipa envolvida no projeto vai dar início à fase de seleção, que vai decorrer ao longo da interrupção letiva de verão. Os alunos interessados vão ser contactados para redigir uma carta motivacional e apresentar um curriculum vitae. Na fase seguinte vão ser entrevistados por um júri composto por elementos da EPN e de entidades externas. Aqueles que forem selecionados vão ter de frequentar aulas de língua nativa do País no qual vão realizar o Erasmus. “Vai ser um verão muito intenso e atarefado, mas muito gratificante pois estamos a preparar os alunos para uma experiência única”, analisa. 

A primeira experiência Erasmus da EPN vai decorrer até dezembro de 2021 e, futuramente, a escola profissional quer alargar o leque de parceiros para países como Noruega, Finlândia e Eslováquia.