Esdica integra projeto-piloto para ensino do Mandarim

A  Escola Secundária D. Inês de Castro (Esdica), em Alcobaça, é uma das 21 escolas secundárias do País que integram o projeto-piloto nacional para ensino do Mandarim como opção de Língua Estrangeira III no próximo ano letivo.

Segundo o protocolo, celebrado na passada semana entre o Ministério da Educação e Ciência (MEC) e o Hanban - Instituto Confúcio da República Popular da China, os professores serão chineses e vão contar com o apoio de oito instituições portuguesas de ensino superior para ensinar os alunos do 10.º ano dos cursos Científico-Humanísticos, entre as quais consta o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), que dará apoio à Esdica.

A participação do IPL neste projeto-piloto prevê a integração dos docentes de Mandarim enviados pelo MEC, através do Instituto Confúcio, no departamento de Línguas e Literaturas da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS), com acesso a recursos científicos e pedagógicos, designadamente ao Centro de Línguas e Cultura Chinesas, às Bibliotecas do IPL e ao Centro de Recursos Multimédia da ESECS. O estabelecimento de ensino superior deverá ainda constituir uma equipa que acompanhe e apoie a concretização do projeto nas três escolas secundárias da região – Alcobaça, Leiria e Marinha Grande –, nas vertentes científica e pedagógica.

O projeto-piloto deverá abranger 400 alunos, sendo que o número final de estabelecimentos de ensino estará dependente da quantidade de alunos matriculados na disciplina.