Família da secção de ciclismo Alcobacense reuniu-se à mesa

Antigos atletas, treinadores e dirigentes da extinta secção de ciclismo da Alcobacense reuniram-se, no dia 16, num restaurante na Cela para relembrar os tempos em que formaram equipa e em que representaram o clube por todo o país.

Sérgio Paulinho, medalha de prata na prova de estrada nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, foi um dos presentes, tendo relembrado os anos em que passou por Alcobaça. “A Alcobacense foi uma grande escola de ciclismo para o que consegui atingir e, passados tantos anos, encontrar colegas com quem fiz equipa é um misto de emoções”, assumiu ao REGIÃO DE CISTER. “Estes são momentos em que relembramos os estágios que fazíamos, histórias que passámos juntos”, contou o ciclista da EFAPEL, que recordou a participação nos Jogos de Atenas.

“A Aldeia Olímpica foi das coisas que mais me marcou, ver todas as pessoas concentradas no mesmo sítio, a viver tudo à flor da pele, foram momentos que ainda hoje me deixam nostálgico”, disse o ex-Alcobacense, que no seu historial conta com a conquista de uma etapa da Vuelta de Espanha, em 2006, e uma etapa do Tour de França, em 2010.

Jacinto Paulinho, que foi treinador da Alcobacense entre 1998 e 2002, recordou o dia em que o filho conquistou a primeira medalha para Portugal no ciclismo. “Estava em casa a acompanhar pela televisão e foi especial ver o meu filho conseguir aquela medalha. Numa época em que a televisão ainda não fazia parte do dia-a-dia, foi, sem dúvida, especial vê-lo no pequeno ecrã”, disse, recordando a chamada telefónica que estabeleceu para a Grécia assim que acabou a prova. “Não conseguia falar, tão grande era a emoção que eu e a minha família estávamos a sentir”, relembra.

Mas até Sérgio Paulinho chegar ao patamar profissional, o caminho foi de trabalho, e de algumas histórias curiosas em Alcobaça. Quem o diz é Pedro Ferreira, responsável pela organização do almoço do passado sábado. “Todos se mostraram interessados em voltar a reunir as tropas e o Sérgio foi um dos que me disse que só precisava de saber a hora e o local do encontro”, notou.

O ex-ciclista relembra as carrinhas Peugeot 504 nas quais a equipa fazia as viagens e destaca uma história que viveu com Sérgio Paulinho. “Num estágio de uma semana em Alcobaça, que antecedia uma prova, tentei convencê-lo a ir à praia, mas ele recusava, com o argumento de que tinha de se preparar”, relembra Pedro Ferreira, que tanto insistiu, que conseguiu mesmo levar o colega a passear.  “Fiquei com receio de que caso não ganhasse ele se chateasse comigo por o ter desencaminhado ligeiramente, mas acabou por correr tudo bem e ele ganhou a corrida”, lembra o ex-ciclista, entre sorrisos.

De resto, o convívio do passado sábado foi marcado pelas muitas histórias que se reviveram, num encontro em que não faltou, naturalmente, a bicicleta... A secção de ciclismo da Alcobacense, composta pelos escalões de juniores e sub-23, acabaria por evoluir para a constituição do Alcobaça Clube de Ciclismo, mas aqueles cinco anos em que correram juntos jamais serão esquecidos.