História do Viamar inclui visita de cardeal que viria a ser Papa

Poucos saberão que há algumas décadas Joseph Aloisius Ratzinger, mais tarde conhecido por Papa Bento XVI, passou por Alfeizerão. E foi nessa visita, ainda antes de ser proclamado Papa, que marcou presença no Salão de Banquetes Viamar. 

“Numa entrevista, já após ser proclamado Papa, chegou a revelar uma oferta de uma garrafa de vinho do Porto que foi dado precisamente pelo meu pai aqui no restaurante”, conta ao REGIÃO DE CISTER, Nuno Melgaço, atual proprietário do espaço.

O projeto começou há 41 anos por iniciativa do pai,  José Melgaço, que na década de 1970 alugava loiça para várias salas do País. O negócio começou a “perder força” e foi aí que o primeiro proprietário decidiu investir num espaço na rua principal de Alfeizerão, que servia refeições apenas a excursões, casamentos, batizados e outras festas.

Atualmente o restaurante dispõe de três salas com serviço de banquetes e refeições diárias económicas, mas nas traseiras daquele espaço já o pai de Nuno Melgaço tinha criado a discoteca “Viamar” e mais recentemente uma florista e... uma escola de condução. “Por acaso seria nessa escola de condução que viria a tirar a carta”, conta o alfeizerense, entre risos.

Nuno e Isabel Melgaço, marido e mulher, assumiram a gerência do salão de banquetes quando em 1999 estavam na Alemanha e o pai de Nuno lhe propôs “tomar conta” do negócio da família. Assim foi, e nos últimos 21 anos é o casal que “comanda as tropas”.

“Chegamos a ter até 500 pessoas entre as nossas três salas”, conta Isabel, também responsável pela cozinha, acrescentando que “embora sejam convívios de diferentes zonas do País, em que cada sala tenha a sua animação musical, as pessoas acabam por confraternizar umas com as outras. Há conversas que até já resultaram em casamentos”, graceja.

Com dez funcionários, o salão de banquetes realizou inúmeros casamentos e batizados, mas por agora o principal público são as excursões. “Trabalhamos com mais de 100 organizadores de excursões e todos o ano recebemos várias centenas de autocarros”, revela Isabel Melgaço, considerando que “o serviço de qualidade” é um dos grandes selos de qualidade da Viamar.

O casal raramente tem férias, mas quem corre por gosto não cansa. “Temos de aproveitar os fins de semana porque são uma fatia muito importante da nossa receita”, explica.

O nome Viamar foi escolhido por aquela estrada principal ser “a via para o mar” e a verdade é que quem tem lugar marcado na Viamar tem almoço e lanche garantido com uma boa dose de simpatia e algumas melodias para dançar e cantar. Como diz o hino Viamar: “Na Viamar há imagem musical, para ouvir e dançar o melhor de Portugal”.