Joaquim Alfredo gere um “Ali Babá” no centro da Nazaré

Os estrangeiros que entram na Stella Reparações, em plena Sub-vila, costumam ficar surpreendidos com a variedade de produtos que estão à venda na loja que Joaquim Alfredo abriu há já 42 anos na Nazaré. E, é por isso, que alguns se referem ao espaço como um verdadeiro “Ali Babá”. O comerciante começou o negócio com os materiais elétricos e os pequenos eletrodomésticos, mas hoje em dia tornou-se num verdadeiro bazar de relíquias elétricas e “miudezas”.

“Era eletricista e sempre gostei de trabalhar com material elétrico“, conta o nazareno, que após ter estado emigrado em França durante oito anos regressou a casa. “A dúvida era se vinha para levar a minha filha para lá ou se ficava cá com ela”, recorda. Acabou por surgir “a oportunidade” de ficar com o espaço, onde funcionava a pastelaria Batel, antes de se instalar na Praça Sousa Oliveira, e que pertencia ao Stella Maris (daí a designação de Stella Reparações).

“O meu maior prazer sempre foi desenrascar as pessoas, que chegam aflitas porque não encontram o que precisam em lado nenhum”, confessa Joaquim Alfredo, que inicialmente se dedicou às reparações elétricas, chegando a deslocar-se a casa dos clientes. Com o tempo, e as grandes concorrentes das grandes superfícies comerciais e das lojas chinesas, o comerciante acabou por ir ficando atrás do balcão. E o facto é que há clientes que chegam de todo o lado com um argumento imbatível: “Disseram-me que só aqui é que conseguia arranjar isto”. E não estão, de todo, errados, pois Joaquim Alfredo guarda material elétrico que já não se encontra facilmente. Os turistas batem-lhe muita vez à porta, especialmente os ingleses, que agradecem os adaptadores de tomadas elétricas. 

Ali há de tudo um pouco: relógios de parede, rádios, candeeiros, lanternas, pilhas, guitarras com o emblema do Benfica e do Sporting, bolas de futebol e até gás para o campismo. As chaves são o seu mais recente negócio. “Aos fins de semana as lojas de ferragens fecham e muitos turistas começaram a vir aqui aos domingos perguntar-me se não fazia cópias de chaves porque muitas vezes perdia-se na praia”, conta o comerciante.

O “Ali Babá” de Joaquim Alfredo é também uma ode à sua paixão pelo desporto: entre os produtos para vender também consta uma fotografia de um torneio dos Nazarenos de 1959 e outra de uma equipa de futebol em França de 1969, penduradas na parede. A Stella Reparações chegou a patrocinar equipas de futebol de salão e o próprio... Joaquim Alfredo nas corridas que participou. Mas há também fotografias dos filhos, a rádio Nazaré a tocar e a televisão pronta para qualquer eventualidade. Sobre o futuro, o nazareno gostava de acabar como começou: “com um alicate no bolso de trás das calças a ajudar as pessoas nas biscates”. Até lá, vai treinando para voltar a fazer a Meia-Maratona da Nazaré.