Lord of Confusion apresentam videoclip gravado no Capitólio

Os Lord of Confusion vão apresentar no Dia das Bruxas (sábado), “Witchmantia”, gravado no Teatro Capitólio, em Lisboa.

O mais recente trabalho da banda de Danilo Sousa (guitarra), natural de Pataias, Nelson Figueiredo (bateria), do Juncal, e Carlota Sousa (teclado e voz) e João Fonseca (baixo), de Leiria, passará a estar disponível em formato físico, numa edição limitada, e em formato digital nas redes sociais e plataformas de streaming.

“A gravação deste videoclip surgiu de um convite feito pelos nossos amigos Fuzzil que gravaram no mesmo dia”, adianta o baterista da banda ao REGIÃO DE CISTER. “O videoclip é produzido por João Fonseca e Leonardo Baptista e o ‘artwork’ foi realizado através de uma colaboração entre Danilo Sousa, Carlota Sousa, Pedro Neves e Marco Gomes”, acrescenta Nelson Figueiredo.

“O tema é inspirado no filme dos anos 60 Witchfinder General e mostra uns Lord Of Confusion mais maduros e com um estilo mais definido”, explica João Fonseca. “É, sem dúvida, o resultado de muitas horas juntos onde todos os instrumentos têm um ponto fulcral para contar a história que queremos”, nota. A banda estava a organizar, na noite de Halloween, um concerto em formato live session, do qual participavam também os grupos Manferior, Misleading. No entanto, devido ao estado de calamidade que o País atravessa, o evento teve que ser adiado, com data ainda por definir. 

Os Lord of Confusion começaram a dar os seus primeiros passos em meados de 2018. O local dos ensaios é uma antiga casa de pedra e cal no Juncal, restaurada pelo pai de Nelson Figueiredo, que pertenceu a um padre e que foi incendiada durante as invasões francesas.

“Começámos por nos juntar aos fins de semana e a apresentar pequenos concertos e mais tarde decidimos gravar o EP Burnin’ Valley”, recorda Danilo Sousa. João Fonseca foi o quarto elemento da Lord of Confusion. “Quando entrei para a banda já estavam a decorrer as gravações do Burnin’ Valley e tive logo de acelerar o passo porque já o comboio ia muito à minha frente”, conta o baixista, entre risos. 

A sonoridade dos Lord of Confusion assenta num registo lento, “stoner-doom”, que “hipnotiza quem os ouve”. Com concertos cancelados nos passados meses devido à situação epidemiológica que o mundo enfrenta, o grupo espera regressar aos palcos no próximo ano.

“Infelizmente tem havido muita falta de apoio na vida artística e cultural durante esta fase que estavamos a travessar”, lamenta Nelson Figueiredo. “Por outro lado, esta situação tem-nos desafiado e dado a oportunidade para explorar e promover o trabalho ao nível digital”, conclui.