Lotes da Nova Alcobaça voltam ao mercado com nova tipologia

Depois de uma alteração às obras de urbanização na Nova Alcobaça, aprovadas pela Câmara de Alcobaça no início deste ano, o Millenium BCP voltou a colocar no mercado os lotes de habitação unifamiliar e plurifamiliar e comércio e serviços. A Re/max Mosteiro, de Alcobaça, continua a ser a agência imobiliária escolhida para comercializar os lotes.

“No novo projeto as moradias foram isoladas dos prédios habitacionais, de forma a haver uma maior privacidade e organização do espaço”, explica Ernesto Nogueira, gerente da Re/max Mosteiro. A área bruta de construção totaliza os 151.950 metros quadrados.

Apesar de estar prevista a venda conjunta dos 98 lotes pelo valor de 7.250.000 euros, o banco, que assumiu desde 2016 a Nova Alcobaça - Promoção Imobiliária, está disponível para estudar propostas de compra isoladas para as várias fases do projeto. “Haverá a possibilidade de adquirir os lotes por fases: a primeira fase ligada aos lotes das moradias, a segunda aos prédios e a terceira aos serviços”, explica Ernesto Nogueira, que gere o negócio da imobiliária com Margarida Lopes.
Dos 98 lotes que são propriedade do banco, estão previstos na componente de habitação um máximo de 936 fogos com uma área bruta de construção até 145.755 metros quadrados e na componente de comércio e serviços um máximo de 476 frações com uma área bruta de construção até 42.520 metros quadrados.

Ernesto Nogueira prevê que os lotes para as moradias unifamiliares (68 lotes) tenham muita procura. “O mercado está em retoma. É importante construir na cidade e os construtores olharem para esta oportunidade”. “A rotatividade é baixa precisamente pela ausência de construção nova, o que também faz com que a oferta no mercado de arrendamento seja menor”, nota.

Do total dos 103 lotes da operação de loteamento na Quinta da Barrada, mais conhecida por Nova Alcobaça, estão já edificados dois edifícios nos lotes 2 e 5, o supermercado Pingo Doce e a loja da Decathlon, respetivamente. Mais recentemente ficou concluída a construção de um posto de combustível da BP no lote 1, para onde estava também prevista a criação de um retail park. Nenhum desses lotes é propriedade do banco.

Já os lotes 3 e 4 pertencem à Câmara, que prevê ali construir um parque urbano e de um campo desportivo, prolongando naquela área o Parque Verde de Alcobaça.