Nazareno parte em navio para circum-navegação de 371 dias

A nazarena Andresa Santos vai casar-se no próximo verão e sonhava com o momento em que o irmão a levaria ao altar, mas o desejo não se vai concretizar... por bons motivos. É que o irmão Wilson Portugal Santos foi um dos 144 marinheiros que, no primeiro domingo do ano, zarpou no navio-escola Sagres para recriar a circum-navegação que Fernão Magalhães efetuou à volta do mundo há 500 anos.

“É um sonho realizado. Lembro-me de dizer que um dia seria militar deste navio, mas nunca pensei que nele fosse fazer uma volta ao mundo”, confessou o marinheiro, de 31 anos, antes de integrar a aventura mais longa da carreira. O navio-escola Sagres vai passar por mais de 20 portos de 19 países diferentes. 

O maior período que passou longe da família foi de apenas duas semanas, pelo que os 371 dias de viagem prometem deixar saudades. “Não vai ser fácil devido às saudades da família e amigos mas certamente vamos conseguir aguentar”, ressalvou Wilson Portugal Santos, que se despediu das filhas Filipa e Lara, de 12 e 9 anos, respetivamente, da mãe, da irmã e dos avós no terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia. 

O sonho do nazareno marinheiro já é do século passado. Numa visita a um navio-escola Sagres durante a Expo’98, Wilson Portugal Santos já dizia que um dia iria embarcar numa volta ao mundo. Volvidas mais de duas décadas o sonho tornou-se real. 
“Quando o convidaram para a aventura disse logo que sim sem pensar duas vezes”, conta ao REGIÃO DE CISTER Andresa Santos, a irmã do nazareno que nunca lhe chegou a revelar que queria que o irmão a levasse ao altar. “Seria mais difícil para ele partir a saber dessa minha intenção”, considera.

Durante mais de um ano, os telemóveis e os emails vão passar a fazer parte desta família nazarena, que apesar de já sentir saudades prefere orgulhar-se do trajeto do marinheiro da embarcação portuguesa.
“Tenho um orgulho enorme no meu filho”, relata a mãe Ana Maria Portugal, que não esconde a emoção de ver o “seu menino partir”. “Prefiro pensar que ele está em Lisboa para não sentir tantas saudades”, confessa a progenitora. Já Augusto Portugal conta ao REGIÃO DE CISTER que a despedida do sobrinho foi feita pessoalmente e por mensagem, que fez questão de partilhar: “Quero que aproveites ao máximo esta oportunidade porque no fim a família vai estar cá para te receber. Até já!”.

Certo é que quando regressar Wilson já não será só Portugal, será do mundo também.