Skate park indoor de utilização pública nasce na Benedita

Está a ser criado na Benedita o único skate park indoor de utilização pública do País, no âmbito de uma parceria entre a associação “Zona Solta” e a Junta da Benedita. O espaço vai acolher eventos desportivos, aulas e funcionará ainda como um centro de Atividades de Tempos Livres (ATL). 

O desafio foi lançado pela associação, que após vários anos de dinamização de eventos pelo País quis criar uma “central”. “A associação organiza eventos em diversas regiões do País e tinha rampas e material espalhado por todo o lado. O desejo de reunir e concentrar tudo num espaço com utilidade pública foi o ponto de partida deste projeto”, conta Pedro Raimundo ao REGIÃO DE CISTER.

A proposta apresentada pela associação agradou ao executivo local, que já tinha o desejo de criar um espaço para a prática do desporto. Desde modo, a Junta da Benedita disponibilizou parte do armazém situado na Rua Franciso Sá Carneiro para a criação do skate park indoor.

A autarquia assegurou a requalificação do interior das instalações e a associação assumiu as obras do exterior, a requalificação do material para a prática da modalidade e a instalação do mesmo. “Fomos pedreiros, pintores... um pouco de tudo. Unimos esforços para garantir a evolução do projeto e, embora esteja a ser cansativo, está a ser também muito gratificante”, admite o praticante de skate desde os 11 anos. 

A Zona Solta, que já investiu cerca de 70 mil euros no skate park indoor, tem a pretensão de que este seja um espaço para toda a comunidade – desde os que são uns “prós” do desporto aos que querem aprender. Para isso, o espaço vai aliar a vertente desportiva e a ocupação dos tempos livres através da prática da modalidade, atividades extracurriculares, atividades de tempos livres, formação, dinamização de eventos culturais e skate camps.

“Estamos a procurar estabelecer parcerias com as escolas do concelho para que os alunos possam vir para o espaço após o término das aulas. Além da prática do desporto haverá ainda a possibilidade de participar de outras atividades multimédia e gráficas”, conta o turquelense de 44 anos. Com o desenvolvimento do projeto, a associação quer também trazer eventos nacionais à Benedita. 

A abertura teve de ser adiada devido a atrasos motivados pela pandemia, mas deverá decorrer nas próximas semanas. Ainda assim, o “levantar do véu” que a associação tem feito nas redes sociais já motivou diversos contactos de várias regiões do País. “Já recebemos pedidos de informações de Lisboa, do Porto, de Aveiro... Querem saber quando abre e quando podem vir experimentar este projeto único no País. Um grupo de crianças de Lisboa já veio visitar o espaço exterior, tal era a curiosidade”, graceja Pedro Raimundo. 

“Acredito que a Benedita vai assistir a um corrupio muito positivo. É um projeto que vai dinamizar a freguesia e provocar a vinda de pessoas de todo o País”, defende o jovem.