Taberna de Cister nasce na pandemia para servir à mesa sabores da região

Depois de terem ficado sem trabalho devido à pandemia, Ana Silva e Miguel Feliciano arregaçaram as mangas para abrir um restaurante próprio em Pedra do Ouro. 

“O meu contrato não foi renovado e o Miguel ficou em layoff sem perspetiva de voltar ao ativo. Foi então que os meus pais nos desafiaram a abrir o restaurante na Pedra do Ouro, onde há 25 anos também tinham iniciado o negócio deles”, conta Ana Silva, filha dos donos do Restaurante Pizzaria Cister, em Alcobaça. “Ainda nos mantivemos em casa durante um mês, mas acabámos por colocar mãos à obra e num tempo recorde remodelámos o espaço e pensámos no conceito que queríamos. Não havia muito a perder”, conta a jovem, de 25 anos.  

Os petiscos foram a aposta do casal, uma vez que “o conceito ainda não está muito explorado na região”. É possível, assim, pedir uma salada de polvo com Maçã de Alcobaça, um carapau enjoado da Nazaré ou uma bifana de Malhado de Alcobaça e finalizar a refeição com um gelado com sopa dourada.

Além disso, “o local junto à praia também alicia os clientes a comerem um petisco”. Com portas abertas desde o dia 28 de junho, o restaurante dispõe de 26 lugares sentados na sala e mais oito na esplanada.