Viaturas pessoais dos carteiros de Alcobaça vandalizadas

Nos últimos meses, as viaturas pessoais dos carteiros do Centro de Distribuição Postal (CDP) de Alcobaça que se encontram estacionadas junto das instalações da empresa, na antiga Quinta da Gafa, durante o horário de trabalho, têm sido vandalizadas, o que está a causar um sentimento de revolta e indignação.

“O que se passa é demasiado grave e deve ser denunciado. As pessoas têm de saber que isto acontece em plena via pública e não percebemos a razão para tais atos”, lamenta um carteiro, que pediu para não ser identificado.

Quase todas as viaturas daqueles profissionais estão riscadas e com mossas. Há dias, um dos carteiros deparou-se com dois jovens que se encontravam a urinar para cima de um carro. Chamou a polícia e os delinquentes foram identificados pela PSP, que tem sido chamada ao local.

A situação é tão grave que um dos carros está riscado, de uma ponta a outra, com a seguinte inscrição: “Pintura nova”. Noutros casos, os autores destes “atos de vandalismo gratuitos e incompreensíveis” limitam-se a fazer riscos em toda a extensão lateral da viatura. Até já chegaram a partir um vidro retrovisor de uma das viaturas estacionadas na Rua da Gafa.

“Não percebemos a razão desta situação e consideramos isto intolerável num estado de direito. Alguém tem de fazer alguma coisa, porque estamos a falar de atos contra propriedade privada e que são feitos na via pública e à luz do dia”, lamenta o carteiro que contactou o REGIÃO DE CISTER para denunciar o caso e que optou por não dar a cara por temer “mais represálias”.

Contactado pelo REGIÃO DE CISTER, o comandante da PSP de Alcobaça confirma ter “conhecimento de algumas situações de viaturas que sofreram danos”, as quais se encontram registadas na esquadra. Contudo, e até ao momento, “nenhuma queixa foi apresentada”, assegura Nelson Matos. De qualquer forma, o comandante da PSP de Alcobaça garante que tem havido “um reforço do policiamento na zona, de forma a tentar identificar os possíveis autores destes atos de vandalismo“.