Quinta-feira, Julho 7, 2022
Quinta-feira, Julho 7, 2022

Comércio e cultura

Data:

Partilhar artigo:

Sempre acreditei que o comércio e a cultura são o combustível e o comburente de uma sociedade dinâmica e desenvolvida. Quando uma destas atividades entra em declínio, a outra segue-a e acaba por definhar também. Em sentido oposto, se apostarmos claramente numa, a outra saberá expandir-se.

Um destes dias deitei a mão a um velho texto de Fernando Pessoa, publicado em 1926 na Revista de Comércio e Contabilidade, no qual o poeta refletia sobre esta relação íntima entre o comércio e a cultura, recordando que “as sociedades que mais proeminentemente se destacaram na criação de valores culturais são as que mais proeminentemente se destacaram no exercício assíduo do comércio”. “Comercial, eminentemente comercial,” escrevia ”foi Atenas. Comercial, eminentemente comercial, foi Florença”.

Ora, todos nós queremos Alcobaça cheia de vida. Queremos uma cidade vibrante e autêntica, capaz de produzir e de comercializar o melhor que há na agricultura, na cerâmica, nos doces e na gastronomia em geral. E se assim é, não podemos descurar a cultura, nem os valores culturais.

O vigor das atividades económicas depende dos empreendedores, dos que sonham, dos que investem e trabalham e acreditam. O vigor da atividade cultural depende exatamente dos que sonham, dos que investem dos que trabalham e acreditam! Só precisamos, portanto, de nos desafiarmos a fazer mais e melhor. 

Ainda agora terminou mais um festival Books & Movies. Não tarda nada, chegam os Doces Conventuais e, se tudo correr bem, o Cistermúsica há-de regressar quando for verão outra vez. Não é ainda uma programação intensa. Mas a verdade é que Alcobaça já tem um calendário de eventos culturais de que nos podemos orgulhar. E com estes grandes momentos, ricos em atividades, mas sobretudo em simbolismo, outros virão. Virão as marionetas do Gil e a vontade dos escritores, virão as bandas extraordinárias e as mãos firmes dos escultores, virão poetas, desportistas e empreendedores. Porque uma coisa leva à outra e paulatinamente as nossas ruas se vão iluminando de vida e de gente outra vez!

AD Footer
Artigo anteriorFérias na minha terra
Próximo artigoO cheiro a musgo!
spot_img

Artigos Relacionados

Acidente entre ligeiro e pesado causa um ferido em Alcobaça

Um acidente de viação, ocorrido na manhã desta quinta-feira, em Alcobaça, provocou ferimentos ligeiros a uma mulher de...

Central-periférica abre portas em Alcobaça a artistas em situação de risco

Um dos edifícios do centro histórico de Alcobaça está a dar “teto” a artistas internacionais. É ali, mais...

Dois detidos por tentativa de furto a residência em Famalicão

O Comando Territorial de Leiria, através do Posto Territorial da Valado dos Frades, deteve esta terça-feira dois homens...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!