Sexta-feira, Setembro 30, 2022
Sexta-feira, Setembro 30, 2022

Zé da Loja: de tasca e mercearia a restaurante de referência em Alcobaça

Data:

Partilhar artigo:

spot_img

Quase um século depois de ter sido edificada, a “Tasca do Zé da Loja” continua firme e hirta. A história, contada por Isabel Alexandre, não tem dados concretos sobre a data de abertura do espaço, mas a verdade é que antes dos seus padrinhos de casamento (José Tomás e Virgínia) tomarem conta do negócio, há cerca de quatro dezenas de anos, já a casa trabalhava sob o formato de tasca e mercearia. Tal como, de resto, era hábito antigamente.

Este conteúdo é apenas para assinantes

Por favor, assine ou entre na sua conta para desbloquear este conteúdo.

Foi, precisamente, devido ao nome de José Tomás que a casa passou a chamar-se “Tasca do Zé da Loja”. Depois disso, em 1982, Isabel Alexandre passou a gerir o estabelecimento comercial. Uma rotina que virou modo de vida e que durou 28 anos. “Tomei essa decisão com o orgulho de querer continuar o legado deixado pelos meus padrinhos. Fiz alguns reajustes, apesar das obras maiores terem sido feitas muito depois, já pelo meu irmão, mas, acima de tudo, o meu objetivo foi manter o conceito que estava implementado”, confessa Isabel Alexandre ao REGIÃO DE CISTER, sem esquecer a satisfação por continuar a ter em sua casa as pessoas que já a frequentavam no passado: “Não só mantive os clientes que já vinham do tempo dos meus padrinhos, como, a seguir, vieram os filhos desses mesmos clientes. A passagem de gerações é muito gratificante”.

Quase três décadas depois de Isabel, seguiu-se a “aventura” levada a cabo pelo irmão. Carlos Caetano estava desempregado, corria o ano de 2010, e decidiu ficar com o negócio. Em parceria com a mulher, Natália Lucas, remodelaram o espaço e alteraram o modelo de negócio para restaurante.
“Foi a melhor decisão que podíamos ter tomado. Estamos muito contentes com estes 11 anos em que estamos à frente do restaurante e, felizmente, temos tido sucesso. Temos muitos clientes, alguns deles diários, e é raro o período de almoço em que não temos a casa cheia”, confessa o atual proprietário. Carlos Caetano não esconde qual é o segredo: “a qualidade da nossa cozinha”.

E nesse capítulo entra em cena… a cozinheira. Natália Lucas é a responsável pela confeção de pratos que são de comer e chorar por mais, garantem os clientes. Desde o frango na púcara, passando pelo cozido à portuguesa, e sem esquecer o bacalhau à “Zé da Loja”, tudo o que sai da cozinha é “comido” logo pelos olhos dos clientes.

“Temos crescido todos os dias, de há 11 anos a esta parte, e o negócio está sobre rodas. É um ramo que dá muito trabalho, mas que também é muito gratificante. Temos a noção de que somos uma das casas de referência do concelho de Alcobaça e, também por isso, nunca abdicamos da qualidade”, salienta, orgulhosa, Natália.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Nove bombeiros da região participaram na prova “Escadórios da Humanidade”

Nove bombeiros das corporações da região participaram na prova “Escadórios da Humanidade”, realizada  este dia 24, no Bom...

Alunos da Nazaré participam em ação internacional de limpeza costeira

Alunos do 1.º ciclo participaram nas ações de limpeza costeira que decorreram na Praia do Norte e na...

Futebol: Leandro Santos chega aos 200 jogos na Honra

O jogo entre Ginásio e Mirense, agendado para o próximo domingo (15 horas), no Municipal de Alcobaça, vai...

Triatlo: Raquel Rocha arrecada bronze no Europeu de Bilbau

Raquel Rocha (Clube de Natação e Triatlo de Lisboa) esteve em plano de evidência ao conquistar a medalha...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!