Sexta-feira, Fevereiro 23, 2024
Sexta-feira, Fevereiro 23, 2024

Resolução de ano novo

Data:

Partilhar artigo:

Nunca fiz resoluções de ano novo. Mas tenho por certo que em cada dia, ou ano, ou hora que começa, há um tempo que continua

Susana Santos

Têm graça, as resoluções de ano novo. Têm graça e fazem sentido, sobretudo para quem aproveita esta nova volta em torno do sol para, no mesmo percurso, mudar a rota, a bagagem, o destino ou ainda o ritmo da caminhada.

Se decidirmos olhar a vida como uma jornada que se constrói, então o ano novo é sempre o começo de alguma coisa. Mas importa não esquecer que todos os momentos são o começo de alguma coisa, pelo que desejo aos leitores desta Região de Cister, a força, a lucidez e a determinação para encontrarem em cada passo, um impulso positivo, em cada queda um encontro com a consciência e em cada plano, a vontade de melhorar, se não o percurso, pelo menos a viagem e o passageiro.

Nunca fiz resoluções de ano novo. Mas tenho por certo que em cada dia, ou ano, ou hora que começa, há um tempo que continua. E a direcção da marcha equivale ao desenho do futuro. É dessa rota que procuro ter consciência, seguindo um conselho de Drummond de Andrade:
Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.”

Região de Cister - Assine Já!
AD Footer

Artigos Relacionados

Malhado de Alcobaça em destaque em evento no Porto

O Malhado de Alcobaça vai ser um dos produtos em destaque num evento que vai decorrer este sábado,...

Concelhos de Alcobaça e Nazaré contabilizam 93 idosos sinalizados

Os concelhos de Alcobaça e da Nazaré, que integram a área de abrangência da Secção de Prevenção Criminal...

Missão dos militares resulta em laços de amizade

A regularidade com que os militares se deslocam a casa dos idosos motivam, regularmente, a criação de verdadeiras...

Guarda(m) os idosos e ainda ajudam a combater a solidão

A Ti Lurdes, natural da freguesia da Turquel, perdeu o marido há várias décadas, quando residia em França,...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!