Segunda-feira, Maio 27, 2024
Segunda-feira, Maio 27, 2024

E se fôssemos um País de Poetas?

Data:

Partilhar artigo:

este mesmo ano em que celebramos os 500 anos do nascimento do nosso poeta maior, Camões, pergunto-me como seria o meu país, se o meu país se lembrasse dele e dos seus heróis.

Susana Santos

Um país onde as ruas, as praças e as avenidas têm nomes de poetas. Se fôssemos gente que, mesmo analfabeta, de desafia à desgarrada e que, em dias duros, canta trovas e rimas para afastar as tristezas e depois, mesmo já quase sem voz e sem memória, ainda se lembra dos versos de quando era menino.

Se da nossa língua se visse o mar, se ao invés de opróbrios e insultos servisse para exaltar feitos e sucessos, se ao menos lêssemos que “Quem faz injúria vil e sem razão / Com forças e poder em que está posto / Não vence; que a vitória verdadeira / É saber ter justiça nua e inteira.”

Ah, se fôssemos um país capaz de cantar as suas aventuras em épicas oitavas, ou de convocar o quinto império em mensagens sobre o futuro por cumprir. Se, conhecendo os poetas nos conhecêssemos melhor, estou em crer que gostaríamos mais de nós.

Região de Cister - Assine Já!

Este ano, este mesmo ano em que celebramos os 500 anos do nascimento do nosso poeta maior, Camões, pergunto-me como seria o meu país, se o meu país se lembrasse dele e dos seus heróis.

Pergunto-me como seriam os nossos serões, se os acabássemos a dizer em voz alta que sim, que temos orgulho naqueles que por “obras valerosas se vão da lei da morte libertando”, mesmo se o meu país os quiser voltar a matar, enterrando no esquecimento essas obras cujos cantos nos definem, nos acrescentam e recordam os valores do nosso “ilustre peito lusitano”.

Passaram-se 500 anos, e depois dele, todos os poetas foram maiores porque ele existiu e nos cantou. Passaram-se cinco séculos, e nada, no meu país de poetas me cheira a poesia. Passaram-se 50 anos depois de Abril, e todos vão declamar Sophia, sem, verdadeiramente perceberem que isto só lá vai se entendermos as estrofes desse dia.

AD Footer

Artigos Relacionados

Alcobaça tem quatro farmácias que apoiam famílias em situação de carência

Quatro farmácias do concelho de Alcobaça integram o Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, da Associação Dignitude, que...

Tradições ribeirinhas recriadas para dar mais vida à Cela Velha

A vida na Cela Velha não é propriamente um corrupio, mas, uma vez por ano, e há 36...

Praias de Água de Madeiros, Légua, Pedra do Ouro e Salgado mantêm selo Zero Poluição

A Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável divulgou, na passada semana, a lista de praias classificadas como Zero...

Mercearia das Paredes muda de mãos e abre todo o ano

Mesmo em frente ao mar, em Paredes da Vitória, reabriu, no início deste mês, a Mercearia das Paredes,...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!