Confraria do Frango na Púcara quer defender tradição regional

Está oficialmente criada a “Confraria do Frango na Púcara”. Com o intuito de preservar os valores e as tradições do concelho de Alcobaça, 23 confrades, de diferentes zonas do País e até provenientes de além-fronteiras, assinaram, a 25 de janeiro, no Cartório Notarial de Alcobaça, o documento que formaliza, oficialmente, a associação.

“Este é um momento simbólico para Alcobaça porque se trata da criação de uma Confraria, que já fazia falta para defender os valores de toda a nossa região”, revelou ao REGIÃO DE CISTER Luís Guerra Rosa. De acordo com a proposta de estatutos apresentada pela Confraria, a associação cultural sem fins lucrativos tem como objetivos a defesa, a valorização e a divulgação da iguaria, bem como do património gastronómico e enogastronómico da região de Alcobaça. “Apesar de ser um prato que identifica o nosso concelho, a verdade é que é também muito apreciado em vários outros lugares do País e do mundo, como é o caso de Angola”, revela o confrade, sublinhando que numa primeira instância, a Confraria visa divulgar a iguaria no concelho e, posteriomente, levá-la aos restantes apreciadores espalhados pelo mundo.

Para a prossecução destes objetivos, a Confraria propõe-se a realizar encontros e convívios gastronómicos, a colaborar com instituições que defendam as gastronomias regionais, fomentando o intercâmbio de conhecimentos, e a promover conferências e passeios culturais. “Creio que através desta associação será possível divulgar a nossa região e o que de tão bom e único aqui existe”, sublinha Luís Guerra Rosa.

Com esta formalização, a Confraria pode agora integrar a Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas e concretizar um dos seus objetivos: “promover a sua iguaria em outros países, partilhando a cultura de Cister”. Com elementos provenientes de diferentes freguesias de Alcobaça, de Lisboa, da Rússia e até do Japão, a diversidade é vista pela associação como “uma mais-valia”. “Temos confrades de diferentes locais, o que é muito pertinente para a divulgação de conhecimento, em ambos os sentidos”, refere o professor universitário.

Uma vez formalizada a constituição da Confraria, segue-se a eleição de órgãos sociais. “Vamos reunir com os 23 confrades fundadores para agendar a primeira Assembleia Geral. Certamente não tardará”, informa. Também a criação de um estandarte, de indumentária e das insígnias aguardam deliberação. “Acredito que se fez história. A Confraria do Frango na Púcara ambiciona, somente, ser um importante apoio na dignificação deste património que chega até nós em forma de iguaria”, conclui.