Fundação Vida Nova e Pomar criam Movimento “Laços e Regaços”

A Fundação Vida Nova e a Pomar - Saúde e Desenvolvimento criaram o “Movimento Laços e Regaços”, que tem o objetivo de promover a sensibilização e a disponibilização de informação sobre o tema do acolhimento familiar. As duas entidades pretendem, assim, criar uma resposta social até agora inexistente em Alcobaça.

A iniciativa é dinamizada pelas técnicas Ana Reis e Patrícia Calado, em representação da Fundação Vida Nova, e por Inês Vinagre e Sara Dias, técnicas da Pomar - Saúde e Desenvolvimento. Segundo as profissionais, o intuito é promover o acolhimento familiar como alternativa ao acolhimento residencial ou institucional, “que até agora é a única possibilidade de proteção para as crianças em perigo que temporariamente estejam impedidas de estarem com as suas famílias de origem”

O distrito de Leiria ainda não possui esta resposta social, que é descrita como essencial para salvaguardar o bem-estar dos jovens e criar um ambiente seguro e estável.

“A Fundação Vida Nova gostaria de se constituir como entidade para promover esta resposta social e tem para isso o apoio da Pomar - Saúde e Desenvolvimento, que se associa ao movimento pela sua responsabilidade social de atuação na comunidade enquanto equipa de saúde mental”, sublinha a instituição particular de solidariedade social, que no presente ano implementou a valência de Centro de Apoio Familiar e de Aconselhamento Parental (CAFAP).

O acolhimento familiar é promovido pelas instituições de enquadramento que podem ser os Centros Distritais de Segurança Social e as instituições particulares de solidariedade social. À instituição compete selecionar as famílias de acolhimento, formá-las, acompanhar e monitorizar o acolhimento.