Nazareno vence bolsa para estudar pós-guerra colonial

O nazareno Miguel Cardina, investigador do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, venceu uma bolsa “Starting Grants” do Concelho Europeu de Investigação, no valor de 1,4 milhões de euros. A receita vai financiar o projeto de investigação “Memórias cruzadas, políticas do silêncio: as guerras coloniais e de libertação em tempos pós-coloniais”, que tem como objetivo estudar as memórias das guerras coloniais e de libertação.

“Este é um projeto que procura perceber de que forma é que a guerra foi sendo lembrada ou esquecida entre 1974 e a atualidade”, conta Miguel Cardina ao REGIÃO DE CISTER, que se propõe a revisitar as memórias de guerra.

A investigação será levada a cabo em Portugal, antiga potência colonial, em Angola, Moçambique e Guiné-Bissau, territórios nos quais deflagrou a guerra, e em Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, onde a matriz anticolonial foi determinante no processo de construção nacional.

Apesar de o olhar estar virado para o passado, o investigador de 38 anos sustenta que este continua a ser um tema presente. “Aquilo que pretendo fazer com este trabalho é perceber de que forma este tema marcou os últimos anos e tentar perceber como é que hoje persistem legados relacionados com a guerra, no meio das relações que se estabelecem entre países, e no corpo e alma de quem a combateu”, esclarece o também vice-presidente do Conselho Científico do CES.

 O nazareno, que conquistou o Prémio Victor de Sá de História Contemporânea (2011) e o Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa (2013) com a tese de doutoramento, vai ser o coordenador do projeto, liderando uma equipa de seis pessoas, iniciando a investigação em 2017, seguindo até 2022.

A investigação do nazareno destacou-se entre três mil candidaturas ao concurso da bolsa Starting Grants, que tem como objetivo apoiar os jovens cientistas europeus mais promissores em áreas de reconhecido valor científico.