O novo “Fado Improvável” do violinista Nuno Santos

O violinista vestiariense conhecido por surfar as maiores ondas do mundo e escalar as mais altas montanhas com o seu violino lançou recentemente um “Fado Improvável”. 

Este segundo álbum do artista aborda temas do cancioneiro do Fado de Lisboa e de Coimbra, de artistas e de bandas portuguesas prestigiadas a nível internacional, como Amália Rodrigues, Dulce Pontes, Madredeus, Moonspell e Quarteto 1111.

“Este álbum foi inspirado na água, mais propriamente no mar”, revela Nuno Santos, em declarações do REGIÃO DE CISTER. “A minha ligação com o mar sempre foi muito grande”, acrescenta. A “Canção do Mar”, adaptação de Dulce Pontes de “Solidão”, de Amália Rodrigues, é o único tema de “Fado Improvável”, que já foi apresentado pelo violinista.

“O Mar”, dos Madredeus, “O Infante”, de Dulce Pontes, e “Sei de Um Rio”, de Camané, são outros dos temas instrumentais relacionados com o mar que poderão ser ouvidos em “Fado Improvável”. Neste álbum pode ainda ser escutada a versão em fado de “Opium” dos Moonspell. “Fado Improvável” é também o nome de uma composição original.

O álbum conta com a participação de outros artistas como Custódio Castelo, Rui Amado e João Maneta, resultado de “um ano de trabalho em parceria e aprendizagem”.

O lançamento oficial do disco vai acontecer num concerto na Sociedade Filarmónica Vestiariense “Monsenhor José Cacella”, na Vestiaria, de onde o violinista é natural. Está também agendada uma apresentação num local “muito improvável”, junto ao mar na costa Oeste, assim que o mar “acalmar” e “permitir”. Outros concertos estão ainda por confirmar. “Gostava muito de tocar ainda este ano no Cistermúsica”, confidencia Nuno Santos.

O músico já se encontra a preparar o seu terceiro álbum. “Fado Clássico” será lançado em 2022 e contará com muitas surpresas. O violinista apresentou o seu primeiro trabalho discográfico no ano de 2017. “Elementos” foi inspirado na água, no fogo, no ar e na terra.